Simule e contrate
pensar-marca-fundo-branco

G1 > Economia


Decisão é em caráter liminar (temporário) até que caso tenha julgamento definitivo pelo Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (TRT-15). Sem acordo entre Embraer e Sindicato, Justiça do Trabalho determina extensão de benefícios a demitidos Divulgação/Embraer Após Embraer e o Sindicato dos Metalúrgicos não chegarem a um acordo sobre as demissões na empresa na terceira audiência sobre as demissões nesta terça-feira (29), a Justiça do Trabalho determinou em caráter liminar (temporário) que o vale-alimentação e o plano de saúde tenham duração até junho de 2021 para todos 502 trabalhadores demitidos. A decisão foi da desembargadora do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (TRT-15), Tereza Aparecida Asta Gemignani. Condições iguais às da liminar foram aplicadas pela empresa aos 1,6 mil funcionários que aderiram ao Plano de Demissão Voluntária (PDV) (leia mais abaixo). Durante a audiência a Justiça do Trabalho questionou a empresa sobre a possibilidade de oferecer um valor similar ao do PDV para os demitidos, mas a Embraer informou que não conseguiria fazer uma proposta financeira no momento. A proposta da desembargadora nos autos foi de compensação financeira de um salário por ano trabalhado para cada trabalhador demitido. Mas não houve acordo sobre ela. Com base em uma proposta da assessoria econômica do TRT-15, a desembargadora propôs que funcionários com até 5 anos de casa recebessem dois salários e os com mais de 5 anos recebessem quatro salários como compensação financeira, mas também não houve um acordo sobre ela na audiência de conciliação. Ao fim da audiência e com a falta de consenso, a magistrada levou em consideração a situação dos trabalhadores demitidos diante da pandemia do coronavírus para decidir sobre a liminar, que foi dada a partir de uma ação na qual o sindicato pediu equiparação dos salários dos executivos e layoff aos demitidos. A ação foi proposta após o primeiro dos três encontros que terminaram sem acordo. Trâmite Sindicato e Embraer terão 15 dias para se manifestar nos autos. O processo passará pela avaliação do Ministério Público do Trabalho (MPT) e depois será distribuído a um relator, que poderá rever a liminar e julgar o mérito da questão, dando um parecer definitivo do caso no órgão. Não há prazo para que isso aconteça. O que dizem Embraer e Sindicato O diretor do Sindicato dos Metalúrgicos Herbert Claros ressaltou que a liminar não atende ao pedido de manutenção dos empregos. "A proposta é ruim porque não é sensível à necessidade de garantir os empregos durante a pandemia", disse o diretor sindical. Já a Embraer informou que a "decisão coincide com a proposta apresentada pela empresa durante as audiências no TRT". "A Embraer manteve a coerência de propor o mesmo pacote de benefícios aprovado pela maioria das entidades sindicais que representam profissionais da companhia pelo Brasil, como o Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo, Sindicato dos Metalúrgicos de Botucatu, Sindicato dos Técnicos Industriais de Nível Médio do Estado de São Paulo (Sintec-SP) e Sindicato Nacional dos Aeronautas. Em todas as negociações, a Embraer reforçou o compromisso de preferência na recontratação dos ex-colaboradores, conforme retomada do mercado e política de recursos humanos da companhia", diz nota enviada pela empresa. Sem acordo A discussão já se arrasta há quase um mês após a empresa anunciar os 900 cortes de funcionários, que se somam aos 1,6 mil desligamentos por adesão a Planos de Demissões Voluntárias. Nesta terça-feira foi debatida a proposta de negociação sugerida pela desembargadora Tereza Aparecida Asta Gemignani na última semana. Ela propôs um novo layoff para 502 dos demitidos - sendo 470 de São José dos Campos e 32 de Gavião Peixoto. O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos foi favorável à medida, mas os representantes da empresa na audiência anterior foram contra. Eles alegam que o prazo de layoff de até cinco meses é insuficiente para que se tenha a retomada econômica. Além disso, sustentam que os empregados já foram desligados da empresa e receberam as verbas rescisórias. Ação pede anulação das demissões A ação do sindicato requer o cancelamento de todas as demissões, inclusive as referentes ao PDV. Os representantes da categoria alegam que a empresa fez os cortes sem buscar alternativas para minimizar o impacto social provocado. Já a Embraer alega que tentou negociar três PDVs com o sindicato e a proposta não foi levada para assembleia. O sindicato defende a equalização dos salários pagos pela empresa, com teto de R$ 39.200. O órgão acredita que essa medida seria suficiente para pagar os salários de todos os 2.500 demitidos. A empresa sustenta ainda que teve os negócios afetados pela pandemia e que adotou diversas medidas para manutenção do emprego em suas unidades. Adesão ao PDV não foi suficiente A Embraer havia encerrado em 2 de setembro o prazo para inscrição no terceiro PDV aberto durante a pandemia. A medida era uma tentativa de ajustar o quadro de funcionários frente aos impactos causados pela pandemia. Foram 1,6 mil adesões aos PDVs, mas como o volume não atingiu a meta necessária, a Embraer anunciou que vai fazer mais 900 cortes. Pandemia e fracasso em parceria Para justificar as demissões, a Embraer alega o impacto provocado pela pandemia de coronavírus e o cancelamento da parceria com a Boeing, além da falta de expectativa de recuperação do setor de transporte aéreo no curto e médio prazo. Entenda como Boeing e Embraer foram da aproximação ao rompimento do acordo bilionário Segundo a empresa, os cortes foram feitos com o "objetivo de assegurar a sustentabilidade da empresa e sua capacidade de engenharia". Desde o início da pandemia, a Embraer adotou uma série de medidas como férias coletivas, redução de jornada, lay-off ( suspensão temporária de contratos) e licença remunerada. O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos afirma que foi pego de surpresa com as demissões. O órgão considera as demissões anunciadas na quinta ilegais. Denúncia de assédio O Ministério Público do Trabalho (MPT) apura denúncias recebidas de funcionários da Embraer que relatam pressão para aderir ao PDV. Uma campanha incentivando a denúncia de casos de assédio em relação ao PDV foi iniciada pelo Sindicato dos Metalúrgicos, que encaminhou os denunciantes ao MPT. Segundo o sindicato, 15 trabalhadores foram orientados a procurar o MPT, que recebeu três denúncias até o fim de agosto. A Embraer reforçou que o PDV foi um processo voluntário e comunicado com transparência às pessoas, seguindo o código de ética e conduta. Segundo a empresa, os funcionários foram informados pelos canais oficiais sobre o programa. Prejuízo bilionário A Embraer registrou prejuízo de R$ 2,95 bilhões nos primeiros seis meses de 2020. Somente no segundo trimestre, o prejuízo líquido foi de R$ 1,68 bilhão, pior resultado para um trimestre em 20 anos. Segundo a Embraer, nos seis primeiros meses de 2020, foram entregues somente quatro aeronaves comerciais e 13 executivas, consequência da pandemia de coronavírus. No primeiro semestre, o prejuízo líquido acumulado da empresa brasileira foi de R$ 2,95 bilhões, enquanto no primeiro semestre de 2019 a empresa apresentou prejuízo de R$ 134 milhões. A empresa afirma que não teve nenhum cancelamento na carteira comercial, apenas mudanças no prazo de entregas. Fracasso com Boeing No final abril, a Boeing anunciou a rescisão do acordo que daria à gigante norte-americana o controle sobre a divisão de aviação comercial da Embraer, em meio às crises no setor de aviação e na economia global, deixando a Embraer sem um plano B claro. A Embraer informou no balanço que os custos de separação dos negócios relacionados com a parceria estratégica com a Boeing, agora encerrada, reconhecidos em janeiro, foram de R$ 96,8 milhões. Na tentativa de diminuir os impactos na companhia, a Embraer assinou contrato em julho com cinco bancos públicos e privados para contrair US$ 300 milhões em empréstimos para financiar o capital de giro para exportações.

O Dow Jones Industrial Average perdeu 0,48%, a 27.452,66 unidades, enquanto o tecnológico Nasdaq perdeu 0,29%, fechando a a 11.085,25 unidades. Bandeira dos EUA em frente à Bolsa de Chicago John Gress/Reuters As bolsas dos EUA fecharam em baixa nesta terça-feira (29), cautelosa antes do primeiro debate presidencial da campanha de 2020 nos Estados Unidos. O principal índice Dow Jones Industrial Average perdeu 0,48%, a 27.452,66 unidades. Enquanto isso, o tecnológico Nasdaq perdeu 0,29%, fechando a a 11.085,25 unidades, e o S&P 500 das maiores empresas do mercado de ações recuou 0,48%, a 3.335,38 unidades. "Os investidores aguardam ansiosamente o primeiro debate entre o presidente Donald Trump e o candidato democrata (ex-vice-presidente) Joe Biden, que pode levar a movimentos significativos do mercado", disse Fernanda Horner, da Schaeffer. Trump e Biden se enfrentam em primeiro debate presidencial nos EUA "Os eventos políticos estão no centro das preocupações, com o primeiro dos três debates presidenciais agendados para esta noite", observaram analistas do Wells Fargo, em nota. Os investidores também continuam esperando por novas medidas de reativação de Washington, depois que os democratas da Câmara dos Deputados apresentaram um programa de US$ 2,2 trilhões, US$ 1 trilhão a menos que sua proposta anterior. No entanto, ela continua muito superior ao que os republicanos esperavam, observou o analista da Schaeffer.

Empresa vai assumir cinco blocos exploratórios adquiridos na 11ª rodada de licitação de blocos da ANP. Prédio da Petrobras no Rio de Janeiro Sergio Moraes/Reuters A Petrobras anunciou nesta terça-feira (29) que assumiu a operação da empresa Total E&P do Brasil LTDA nos blocos do norte do Brasil, localizados a 120 quilômetros do Amapá. O acordo foi feito na última sexta-feira (25). A empresa vai assumir cinco blocos exploratórios, adquiridos na 11ª rodada de licitação de blocos da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) pelo consórcio operado pela Total, com 40% de participação, pela própria Petrobras (30%) e pela BP Energy do Brasil LTDA (30%). Com o acordo, a companhia poderá aumentar sua participação de 30% para, pelo menos, 50%, podendo chegar a 70% — caso a BP não manifeste interesse em aumentar a sua participação. "A transação está em linha com o processo de gestão de portfólio da companhia, que visa a maximização de valor para os seus acionistas, priorizando investimentos em ativos de classe mundial em águas profundas e ultraprofundas", informou a Petrobras. A concretização da operação está sujeita às aprovações dos órgãos reguladores. Vídeo: Veja mais notícias sobre a Petrobras Petrobras: não há novos reajustes nos preços dos combustíveis previstos Vídeo: Veja mais notícias de economia
Prazo se encerrou em 30 de junho. Proposta aprovada amplia até 31 de outubro e segue agora para o Senado, onde precisa ser analisada até 27 de outubro para virar lei em definitivo. A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (29) medida provisória que estende o prazo de para que empresas automotivas nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste se candidatarem a um incentivo fiscal voltado ao desenvolvimento regional. Pelo projeto aprovado, as empresas têm até 31 de outubro deste ano para apresentar projetos que contemplem novos investimentos e pesquisa para serem beneficiadas com o crédito presumido do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). O prazo anterior se encerrou em 30 de junho deste ano. O crédito serve para ressarcir essas companhias das contribuições para o PIS-Pasep e Cofins, em relação a vendas ocorridas entre 2021 e 2025. A matéria seguirá agora para o Senado, onde precisará ser aprovada até 27 de outubro. Por se tratar de uma medida provisória, o texto tem validade de 120 dias, mas precisa de aprovação nas duas Casas para virar lei em definitivo. Desenvolvimento regional Lei de 1997 estabeleceu o Regime Automotivo para o Desenvolvimento Regional, com incentivos fiscais para as empresas instaladas nessas regiões que sejam montadoras de veículos automotores ou fabricantes de autopeças. As empresas habilitadas precisam apresentar projetos com programação de investimentos e pesquisas para o desenvolvimento de produtos ou de novos modelos de produtos que já existem. Antes do envio da MP, o prazo para a entrega desses projetos era 30 de junho deste ano. O governo argumentou, porém, que a pandemia do coronavírus atrasou a regulamentação da prorrogação do incentivo. "Entende-se necessária a prorrogação do prazo para conclusão da regulamentação da Lei, e para que, após a publicação de decreto regulamentador, as empresas tenham prazo adequado para elaborar e apresentar seus projetos", dizia a justificativa. A proposta enviada pelo Executivo prorrogava o prazo até 31 de agosto deste ano. O relator da matéria, deputado André de Paula (PSD-PE), decidiu estender o período em mais dois meses porque, para ele, ainda não há um "cenário claro" da duração da pandemia. Extensão do benefício Outra mudança feita pelo relator é a permissão para que empresas na região Centro-Oeste também tenham direito ao benefício até o fim de 2025. Atualmente, o incentivo fiscal na região vale até o fim de 2020. O relator argumenta que a legislação de 1997 já incluía as empresas do Centro-Oeste, embora nenhuma indústria nessa região tenha se habilitado no programa. Porém, em 1999, nova lei foi editada com o mesmo propósito, com prazo mais curto — até o fim deste ano. "Consideramos que haveria uma incontornável assimetria e verdadeira quebra da isonomia tributária se o regime vigente para as indústrias do Centro-Oeste viesse a se encerrar em 31 de dezembro de 2020, enquanto os empreendimentos das regiões Norte e Nordeste tiveram seus benefícios assegurados até 31 de dezembro de 2025", argumentou o relator. Inicialmente, o prazo dos dois programas era o mesmo, em 2010, mas houve duas prorrogações até o fim deste ano. Uma terceira prorrogação, porém, não contemplou os benefícios fiscais da indústria automotiva do Centro-Oeste. Para se adequar à Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), o relator teve que propor uma compensação para a renúncia de receita, que será de R$ 150 milhões anuais, segundo dados da Secretaria Especial da Receita Federal do Brasil do Ministério da Economia. Com isso, entre 2021 e 2025, será cobrado o Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro, e Relativas a Títulos e Valores Mobiliários (IOF) sobre as operações de crédito praticadas com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO). Crédito extraordinário Os deputados também aprovaram na sessão desta terça-feira duas medidas provisórias que destinam crédito extraordinário para os ministérios da Economia e da Saúde. As matérias ainda precisam passar pelo Senado. Uma das MPs destina R$ 20 bilhões para garantir operações de crédito a pequenas e médias empresas no âmbito do Programa Emergencial de Acesso a Crédito, criado por MP anterior. A iniciativa serve para mitigar os impactos socioeconômicos da pandemia. Outros R$ 4,5 bilhões foram abertos em favor do Ministério da Saúde para o enfrentamento da pandemia provocada pela Covid-19. Segundo a MP, por meio do Fundo Nacional de Saúde, os recursos possibilitarão, entre outros pontos, a transferência de recursos a estados e municípios para custeio dos serviços de saúde e o custeio de bolsas ou bonificação a estudantes universitários da área da saúde e médicos residentes que atuarão no Sistema Único de Saúde (SUS). [ Vídeos Veja abaixo vídeos com as últimas notícias de economia.

Serviço é voltado para pessoas com conta corporativa, mas desde o início da pandemia teve o uso liberado para todos. Companhia planejava restringir reuniões para até 60 minutos em setembro, mas ampliou disponibilidade. Ferramenta de videochamadas de uso corporativo do Google terá uso ilimitado para todos até março de 2021. Divulgação/Google O Google anunciou nesta terça-feira (29) que todos os usuários poderão fazer ligações praticamente ilimitadas pelo Meet, ferramenta executiva de videochamadas da empresa, por mais 6 meses. A companhia liberou a ferramenta de videochamadas para o público geral em maio, e planejava restringir as reuniões em até 60 minutos nas contas gratuitas a partir do final de setembro deste ano. Porém, ampliaram o prazo: até 31 de março de 2021 os usuários poderão fazer as chamadas praticamente ilimitadas. São permitidas até 24 horas seguidas na ligação. O Meet é parte do G Suite, um pacote pago com soluções de produtividade para empresas, escolas e outras organizações. Ele permite conectar até 100 pessoas ao mesmo tempo, compartilhar a tela e organizar os participantes em mosaico. Alguns recursos como a gravação de reuniões e o cancelamento de ruído só estarão disponíveis na versão paga. O Google afirma que no segundo trimestre do ano, 600 milhões de participantes usaram o Meet em uma única semana. Procura por videochamadas A demanda por aplicativos de chamadas por vídeo aumentou durante a pandemia. Grandes empresas de tecnologia passaram a oferecer soluções ou ampliaram a disponibilidade para mais pessoas. Saiba mais: Isolamento faz gigantes de tecnologia liberarem aplicativos e lançarem funções novas: veja o que mudou A Microsoft, por exemplo, liberou no início de março o serviço Teams e facilitou a criação de salas de videochamada pelo Skype. Já o Facebook anunciou uma ferramenta chamada Rooms, no Messenger, que permite reunir até 50 pessoas em uma única chamada. A empresa também aumentou o número de pessoas simultaneamente em uma mesma conversa por vídeo no WhatsApp. O Zoom disse no início de setembro que continua crescendo com aumento de trabalho remoto, e registrou 370.200 clientes com mais de 10 funcionários, alta de 458% em relação ao ano passado. Veja os últimos vídeos sobre tecnologia no G1
Cruzamento de dados e mudança nas regras levaram a redução no número de beneficiários, diz Ministério da Cidadania. Para outros 3 milhões, Bolsa Família voltará a ser mais vantajoso. O governo federal informou nesta terça-feira (29) que cerca de 5,7 milhões de beneficiários do Auxílio Emergencial que não fazem parte do Bolsa Família - e que receberam parcelas de R$ 600 - não devem receber nenhuma das quatro parcelas "residuais", de R$ 300 (R$ 600 no caso de mães de família), que começam a ser depositadas nesta quarta (30). Segundo o Ministério da Cidadania, essa redução é motivada pelas regras mais restritas para a nova fase do benefício, além de melhorias que foram feitas no cruzamento dos dados dos cidadãos. "Cerca de 5,7 milhões de pessoas é a nossa estimativa ao final, até 31 de dezembro. Seriam pessoas que deixariam de receber o auxílio extensão por evolução, vamos dizer assim, do processo e do aprendizado que tivemos em relação a essa política pública", disse o secretário-executivo do Ministério da Cidadania, Antônio José Barreto. Além disso, as regras do chamado Auxílio Emergencial Extensão preveem que as parcelas de R$ 300 serão pagas apenas até o final do ano. Assim, apenas trabalhadores que começaram a receber a ajuda em abril (que já receberam as 5 parcelas de R$ 600) terão direito às 4 parcelas adicionais. Quem recebeu até agora 4 ou menos parcelas de R$ 600 vai receber também menos parcelas de R$ 300. E quem ainda não recebem nenhuma parcela, vai receber apenas as 5 de R$ 600. Entenda aqui como isso funciona. Novas regras As regras para o auxílio emergencial até dezembro, com menor valor, foram definidas em uma medida provisória publicada em 3 de setembro. Nesta terça, a Caixa Econômica Federal divulgou o calendário de pagamento, que varia com o nascimento do beneficiário e a data em que ele recebeu a primeira parcela. Confira as datas para o pagamento da nova fase do Auxílio Emergencial de R$ 300,00 Veja o calendário completo de pagamentos Tire dúvidas sobre o Auxílio Emergencial Veja como serão os pagamentos de R$ 300 Beneficiário pode não receber todas as parcelas de R$ 300; entenda SAIBA TUDO SOBRE O AUXÍLIO EMERGENCIAL As regras definidas na medida provisória retiram do auxílio, por exemplo, quem declarou patrimônio superior a R$ 300 mil no Imposto de Renda 2019, ou quem teve rendimentos acima de valores estabelecidos pelo governo no mesmo ano. Os dependentes dessas pessoas também ficam fora das novas parcelas. "Patrimônio passou a ser um conceito que não tinha dentro da legislação anterior. As pessoas com patrimônio no Imposto de Renda acima de R$ 300 mil não fazia sentido, ela não era o público alvo para receber esse dinheiro", exemplificou Barreto. Ao todo, 48 milhões de beneficiários que não integravam o programa Bolsa Família receberam o auxílio emergencial desde o início do programa, segundo dados da Caixa. Deste grupo, 27 milhões de pessoas receberão todas as quatro parcelas da prorrogação do auxílio. Ou seja, receberão todas as parcelas do programa apenas 56,25% dos beneficiários que receberam auxílio até aqui. Segundo estimativas da Caixa: 27 milhões de pessoas receberão as quatro parcelas do auxílio residual; 8,1 milhões de pessoas receberão três parcelas 5,9 milhões receberão receberão duas parcelas 1,4 milhão receberá uma parcela. Além de pontuar que o número é uma estimativa, a Caixa afirma que a quantidade de parcelas pode ser alteradas para os beneficiários que estão contabilizados, caso eles deixem de atender aos critérios do auxílio. De volta ao Bolsa Família A vice-presidente de Governo da Caixa, Tatiana Thomé, indicou que 3 milhões de beneficiários do Bolsa Família também foram excluídos do auxílio emergencial. Isso porque, para esse grupo, o próprio Bolsa Família voltou a ser mais vantajoso. Em vez de receberem o auxílio temporário, esses beneficiários voltaram para o programa permanente. Essa estimativa indica que, dos 19 milhões de beneficiários do Bolsa Família que tinham "migrado" para o auxílio emergencial, 16 milhões seguirão recebendo essas parcelas de R$ 300 até dezembro. Regras restritas Não vai receber as novas parcelas o beneficiário que: Conseguiu emprego formal após o recebimento do Auxílio Emergencial Recebeu benefício previdenciário, seguro-desemprego ou programa de transferência de renda federal após o recebimento de Auxílio Emergencial (exceto Bolsa Família) Tem renda mensal acima de meio salário mínimo por pessoa e renda familiar mensal total acima de três salários mínimos Mora no exterior Recebeu em 2019 rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 Tinha em 31 de dezembro de 2019 a posse ou a propriedades de bens ou direitos no valor total superior a R$ 300 mil reais No ano de 2019 recebeu rendimentos isentos não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte cuja soma seja superior a R$ 40 mil Tenha sido declarado como dependente no Imposto de Renda de alguém que se enquadre nas hipóteses dos itens 5, 6 ou 7 acima Esteja preso em regime fechado Tenha menos de 18 anos, exceto em caso de mães adolescentes Possua indicativo de óbito nas bases de dados do governo federal Demora na análise prejudicou cidadãos O secretário do Ministério da Cidadania e o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, foram questionados sobre o prejuízo aos beneficiários que ficaram com cadastro pendente e, por isso, só começaram a receber os R$ 600 bem depois de abril. Com isso, eles receberão menos parcelas até dezembro. Barreto disse que o governo fez "o melhor que poderia fazer" com os dados, e que não faltou esforço. Mas não comentou a situação de quem receberá auxílio menor. "Se alguma coisa que a gente fez pode ser vista como 'olha, vocês demoraram', eu queria olhar e dizer o seguinte, para quem pagou 67,7 milhões de brasileiros, isso não é demora", afirmou o secretário-executivo do Ministério da Cidadania. "A pergunta é: existe alguém no mundo que faria melhor do que a gente fez? Alguém no mundo foi mais ágil do que a gente foi? Eu não conheço. [...] Nós não somos perfeitos, mas nós não deixamos ninguém para trás", continuou Barreto. Pedro Guimarães apontou que muitos beneficiários cometeram erros no preenchimento de informações no cadastro e que 40 milhões de pessoas fizeram o cadastro sem cumprir os requisitos, o que teria atrasado o processamento. “Além disso, cerca de 33 milhões de pessoas nunca tinha tido uma conta em banco. Para quem não tinha essa familiaridade, realizar um cadastro era complicado”, declarou o presidente da Caixa. A Assista as últimas notícias sobre o Auxílio Emergencial

Governo sofreu críticas depois de anunciar que programa, que vai substituir Bolsa Família, teria recursos do Fundeb e de precatórios. Bruno Funchal não disse quais seriam as outras fontes. O secretário do Tesouro Nacional, Bruno Funchal, afirmou nesta terça-feira (29) que "outras fontes" estão sendo discutidas para possibilitar o Renda Cidadã, novo programa de transferência de renda que o governo Jair Bolsonaro pretende criar para substituir o Bolsa Família, englobando mais pessoas. Funchal, porém, não informou quais são as outras fontes de recursos que estão sendo avaliadas. A declaração de Funchal ocorre um dia depois de o senador Márcio Bittar (MDB-AC), relator da proposta de emenda à Constituição (PEC) emergencial, informar que a proposta para criar o Renda Cidadã previa que os recursos para o financiamento do programa viriam do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e de verba que seria destinada ao pagamento de precatórios (dividas da União cujo pagamento foi determinado pela Justiça). Bittar anunciou a proposta logo após uma reunião com o presidente Jair Bolsonaro, ministros do governo e parlamentares aliados, no Palácio da Alvorada. A proposta para o Renda Cidadã recebeu muitas críticas. A principal delas é a de que o uso de recursos que deveriam ser usados para o pagamento de precatórios equivaleria a um calote do governo federal. Já a possibilidade de uso de dinheiro do Fundeb, apontam críticos, seria uma maneira de o governo "driblar" o teto de gastos, regra que limita o aumento dos gastos públicos. Mesmo com críticas ao Renda Cidadã, governo diz que não vai recuar O mercado financeiro não recebeu bem a proposta do governo. Na segunda, a bolsa de valores brasileira, a B3, teve queda acentuada e o dólar subiu, fechando o dia no maior valor desde maio, devido aos temores de aumento das incertezas quanto a situação fiscal do país. O governo tem R$ 54,721 bilhões reservados no Orçamento para quitar precatórios. Pela proposta, o pagamento dos precatórios passaria a ser de até 2% da receita corrente líquida da União (soma da arrecadação tributária do governo, excluídas as transferências constitucionais para estados e municípios). Para 2021, a receita corrente líquida é de R$ 804,5 bilhões (2% desse total são R$ 16,080 bilhões). A diferença, de R$ 38,641 bilhões, iria para o Renda Cidadã. "Outras fontes para financiar o programa estão sendo discutidas, e passa de novo por essa premissa de manter o teto de gastos", disse Funchal, se referindo à regra que limita o aumento dos gastos do governo federal. "É importante a gente continuar em um processo de discussão. É dolorido, pois acaba tendo ruído, a expectativa é muito grande de como vão ser costuradas as discussões, mas é importante para amadurecer esse ponto, pois trazem aspectos positivos para emprego e renda, mas também para o social", declarou. O secretário do Tesouro, Bruno Funchal. Divulgação/Governo do ES Questionado por jornalistas, o secretário do Tesouro Nacional informou que o papel da instituição é "apontar o que está sendo proposto e suas consequências fiscais" para as contas públicas. "O Tesouro já vem apontando para qualquer tipo de decisão, e as possíveis consequências", disse. "Todo mundo vai se posicionar mostrando as possíveis consequências sobre o que está sendo proposto", declarou. Bruno Funchal não quis emitir uma opinião sobre a possibilidade de utilizar precatórios como fonte para financiar o novo programa social. Ele informou que não viu o projeto, de autoria do senador Marcio Bittar (MDB-AC), para emitir uma opinião. "Na verdade, vai ter que ser uma discussão jurídica. Não vi o texto, está muito no debate das ideias. Vamos ver o texto, vamos discutir juridicamente o entendimento em relação a isso. Tecnicamente, em termos econômicos, já deu sinais nos juros, câmbio, não reduz despesas", afirmou. Sobre a possibilidade de utilizar recursos do Fundeb, que vem sendo apontada como analistas com um "drible" ao teto de gastos, pois esse tipo de despesa está fora do limite do novo regime fiscal, o secretário afirmou que não há essa intenção por parte da equipe econômica. Entretanto, voltou a dizer que não viu o projeto "em detalhe".
Simulação mostrou que um paramédico levou 90 segundos para fazer deslocamento que demoraria 25 minutos a pé. Traje pode alcançar 50 km/h e altura de 3,6 quilômetros. Empresa britânica testa mochilas "voadoras" em resgates médicos Uma empresa britânica está testando o uso de trajes de propulsão para que paramédicos possam voar até regiões remotas em menor tempo. Nesta terça-feira (29), a Gravity Industries divulgou as imagens de suas "mochilas voadoras". A simulação mostrou um paramédico conseguiu alcançar um alvo em 90 segundos em vez de usuais 25 minutos a pé, de acordo com a agência Reuters. 'Moto voadora' cai em Dubai; veja o vídeo do acidente Carro voador faz voo de 4 minutos em teste no Japão; assista O traje pode alcançar 50 km/h e uma altitude máxima de 3,6 km, o que significa que o aparelho pode superar o Scafell Pike, montanha mais alta da Inglaterra. Veja mais vídeos de TECNOLOGIA no G1
Instituição busca analista administrativo, gerente de atendimento e especialista em investimento. A Sicoob Cocre, cooperativa de crédito com sede administrativa em Piracicaba (SP) e 20 unidades de negócios em 15 municípios da região, está com processo seletivo para contratação de quatro profissionais nas áreas administrativas, de atendimento e de investimento. Para participar, o profissional precisa atender aos requisitos descritos abaixo, entrar em link disponibilizado pela instituição, escolher a vaga de acordo com seu perfil e enviar seu currículo. A vaga para analista administrativo é destinada para Piracicaba e busca por profissionais que estejam cursando ou tenham o superior completo em Administração de Empresas, ou áreas correlatas; com preferência para quem tenha CPA 10 (Certificação ANBIMA). Para gerente de relacionamento, uma vaga em Charqueada (SP) e outra em Piracicaba, será necessário superior completo em Administração de Empresas, economia ou áreas correlatas e certificação CPA-10. É importante ter experiência em instituição financeira e atuação com negociação de produtos e serviços financeiros. O profissional que se candidatar para a vaga de especialista financeiro (investimento), em Piracicaba, precisa ter superior completo em Economia, Administração de Empresas ou Contabilidade; ter experiência em instituição financeira e atuação com produtos e serviços financeiros; certificação CPA 20 ou CEA; e domínio do Excel. As quatro vagas oferecem os mesmos benefícios: plano de saúde e odontológico; vale alimentação e/ou refeição e cesta de Natal; vale transporte; seguro de vida; previdência privada; auxílio creche; uniformes; gympass; e participação no resultado anual. Links para envio de currículo online: Analista Administrativo - Piracicaba Gerente de Relacionamento - Charqueada Gerente de Relacionamento - Piracicaba Especialista em Investimentos - Piracicaba Veja mais notícias da região no G1 Piracicaba
Tereza Cristina (Agricultura) falou em evento sobre sustentabilidade. Queimadas já destruíram quase 3,5 milhões de hectares do Pantanal e vêm rendendo críticas ao governo Bolsonaro. A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, afirmou nesta terça-feira (29) que o agricultor do Pantanal está tendo prejuízos com as queimadas que atingem a região e defendeu a destinação de mais recursos para combate e prevenção a esses incêndios. As queimadas, que já devastaram quase 3,5 milhões de hectares do Pantanal, começaram em quatro fazendas de grande porte em Corumbá (MS), segundo investigação da Polícia Federal (PF) iniciada em junho. A suspeita é que produtores rurais tenham colocado fogo na vegetação para transformação em área de pastagem. Segundo relatório do Instituto Homem Pantaneiro (IHP), as queimadas no Pantanal devem gerar impactos diretos e indiretos no bioma, incluindo falta de alimentos, desequilíbrio ambiental e risco de extinção de animais. O governo do presidente Jair Bolsonaro vêm recebendo críticas pelo que tem sido considerada falta de ação na prevenção e combate aos incêndios na região. O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) diminuiu o ritmo das operações de fiscalização em Mato Grosso do Sul em 2020, o que se reflete nas multas aplicadas: autuações relacionadas à vegetação (como desmatamento e queimadas ilegais) caíram 22% neste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado. Voluntários ajudam no resgate de animais que sofrem com as queimadas do Pantanal De acordo com a ministra, os agricultores no Pantanal não estão felizes com as queimadas, que, avaliou ela, têm várias causas. Tereza Cristina também disse que é preciso “separar o joio do trigo”. “Será que o produtor do Pantanal, o homem pantaneiro que eu conheço tão bem, está feliz com esses incêndios que estão acontecendo lá? Será? Porque a grande maioria terá prejuízos enormes com as queimadas”, afirmou a ministra durante o Fórum Reconstrução Sustentável, promovido pelo jornal "Valor Econômico". A ministra disse que combater os incêndios nessas regiões é muito difícil, por causa da dificuldade de acesso, e defendeu mais recursos para ações de prevenção. “Temos que fazer a prevenção, ter um plano de prevenção cada vez mais forte, ter recursos para ter os planos e poder ajudar em uma época de incêndios”, afirmou. Ela ainda citou que incêndios não são mazelas só do Brasil e lembrou das queimadas que atingiram o estado norte-americano da Califórnia, que, segundo ela, é um estado “ambientalmente correto”. A ministra afirmou ainda que incêndios no Pantanal são comuns, mas que eles ganharam uma dimensão maior neste ano por causa da seca histórica. A ministra também defendeu recursos para que pequenos agricultores abandonem práticas rudimentares de tratamento da terra, como as queimadas. Segundo ela, além de dar assistência técnica para que ele conheça novas técnicas, é preciso dar crédito para que esses agricultores consigam implementar. Acordo Mercosul-União Europeia Durante o evento, a ministra também comentou sobre o acordo comercial entre o Mercosul e a União Europeia. Segundo a ministra, o acordo é bom para os dois blocos e, por isso, ela acredita que ele vai sair. “Ele é vantajoso para os dois blocos, não é só vantajoso para o Mercosul. Tem muitas vantagens para a União Europeia”, afirmou. Países europeus têm expressado dúvidas sobre o futuro do acordo em razão da situação da floresta amazônica no Brasil. O Brasil tem sido criticado por políticos, ativistas e organizações não governamentais em razão da política ambiental, com registros de altas no desmatamento e nas queimadas na Amazônia. O tema surge nas discussões como uma barreira à celebração dos acordos. Deputados holandeses, por exemplo, aprovaram já neste ano uma moção contra a ratificação do acordo entre União Europeia e Mercosul. A situação da Amazônia, para eles, está no centro do debate.

Vagas são para call center no Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC) da empresa em Franca, com contratos que vão de 90 a 120 dias. Interessados devem realizar processo seletivo pela internet. Call center Divulgação O Magalu abriu processo seletivo para contratação de 400 funcionários temporários de call center para trabalho durante a Black Friday e o Natal. Podem se candidatar moradores de qualquer região, mas é preciso ter disponibilidade para atuar em Franca (SP), onde fica o escritório da empresa. As vagas são para o Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC) da empresa, com contratos que vão de 90 a 120 dias. Profissionais que tiverem bom desempenho durante o período de trabalho podem ser efetivados, segundo a empresa. Para concorrer a uma vaga, o interessado precisa ser maior de idade, ter ensino médico completo e realizar um cadastro no site da empresa, que ficará aberto até que as vagas sejam totalmente preenchidas. Facilidade no uso de computadores e rapidez na digitação são diferenciais. Os funcionários escolhidos para as vagas temporárias terão vale-transporte, vale-alimentação, seguro de vida, previdência privada e bolsa de estudo. A primeira etapa do processo seletivo será composta por uma prova online de português e matemática. Em seguida, os candidatos passarão por testes em grupo, pré-entrevista, teste de digitação e, por fim, entrevista individual realizada pela internet. Veja mais notícias da região no G1 Ribeirão Preto e Franca Assista ao EPTV 1 de Ribeirão Preto desta terça-feira (29)
Governo alerta que pacote não deve ser aberto ou descartado no lixo, a fim de evitar o contato das sementes com o solo, o que poderia causar prejuízos ao meio ambiente e para as áreas agrícolas. Ministério da Agricultura manda analisar pacotes com sementes não solicitadas O Ministério da Agricultura informou nesta terça-feira (29) que já recebeu 36 denúncias sobre o recebimento de pacotes de sementes não solicitadas. Ainda de acordo com o governo, 8 estados registraram o problema. Essas sementes misteriosas normalmente vêm junto com produtos comprados pela internet, em sites ou aplicativos internacionais. Segundo o ministério, a origem das embalagens é de países asiáticos, como China e Malásia. Mãe e filha denunciam sementes misteriosas após compra pela internet Moradores de Santa Catarina, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Rio Grande do Sul, Goiás, Rondônia, Pernambuco e Bahia afirmam já terem recebido o produto. Todos os pacotes suspeitos vão ser analisados pelo Laboratório Federal de Defesa Agropecuária de Goiânia, que é referência no país. O Ministério da Agricultura reforça para que a população tenha cuidado e não abra encomendas recebidas pelo correio de pacotes de sementes não solicitadas, seja qual for o país de origem. Caso o cidadão venha a receber em casa sementes provenientes do exterior, o governo orienta a entrega do material para uma das unidades do ministério em seu estado ou no órgão estadual de defesa agropecuária. O pacote também não deve ser descartado no lixo, a fim de evitar o contato das sementes com o solo, o que poderia causar prejuízos ao meio ambiente e para as áreas agrícolas. Cabe ressaltar que, ao entregar as sementes adquiridas ou recebidas de remetentes desconhecidos, o cidadão não estará sujeito a penalidades. O mesmo vale para cidadãos que porventura tenham efetuado o plantio. Pensou que fosse brinde A doceira baiana Natália Nascimento foi uma das presenteadas com o pacote. Ela chegou a plantar a semente, porém um fiscal da Defesa Agropecuária recolheu a planta. “Eu imaginei que seria um brinde, por isso que nós plantamos, mas com o cuidado de plantar separado e observar o que era”, conta. “Essa sementes podem vir infectadas com alguma bactéria, algum fungo que pode trazer alguma praga para nossa agricultura, bem como se ela for plantada e florescer, pode ser que suas folhas sejam tóxicas para humanos e animais”, explica Maurício Bacelar, diretor da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab). Problemas parecidos nos EUA e Canadá O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA, em inglês) abriu uma investigação para apurar a chegada de diversos pacotes de sementes misteriosas vindos, em sua maioria, da China. O USDA disse que identificou mais de uma uma dúzia de espécies de plantas. O que intriga as autoridades é que o produto chegou na casa de milhares de americanos sem ter sido comprado ou solicitado. “O Serviço de Inspeção de Sanidade Animal e Vegetal do USDA (Aphis) está trabalhando em estreita colaboração com a Alfândega e Proteção de Fronteiras do Departamento de Segurança Interna, outras agências federais e departamentos estaduais de agricultura para investigar a situação”, disse o departamento. Os pacotes também foram vistos no Canadá, onde o governo postou um alerta contra "sementes estrangeiras enviadas pelo correio da China ou Taiwan". VÍDEOS: mais notícias do agronegócio

Voluntários cuidaram do cultivo de fumo após a família de Augustinho Salvalagio e Salete Boger Salvalagio, de Orleans, no Sul do estado, contraírem a doença. Família diagnosticada com Covid-19 recebe ajuda bem especial Um grupo de vizinhos fez um mutirão para cuidar da lavoura de uma família de produtores rurais de Orleans, no Sul Catarinense, diagnosticada com Covid-19. Os agricultores Augustinho Salvalagio e Salete Boger Salvalagio e outras quatro pessoas que moravam na mesma casa contraíram a doença e precisaram ficar fora do trabalho na plantação de fumo. O agricultor ficou 12 dias internado no hospital enquanto a esposa e os familiares se recuperavam em casa da doença. "Bateu o desespero, porque eu era o mais forte da casa e estava lá, que não podia nem me governar sozinho. Minha esposa sentiu bastante também, ela não precisou ser internada, mas ficou bem mal, assim não poderia ajudar. Era só o rapaz, a moça e a nora, mas tinha leite pra tirar, vaca pra cuidar, daí foi atrasando", contou o agricultor. Lavoura foi recuperada após mutirão dos voluntários em Orleans, no Sul catarinense NSC TV/Reprodução Para impedir que a plantação da família fosse prejudicada, quatro vizinhos de Augustinho se reuniram para trabalhar na lavoura de fumo. Sensibilizados com a situação, outras 20 pessoas se dispuseram a ajudar. "A gente sentiu a necessidade pelo que a família estava passando, então nós, entre os amigos, nos reunimos e achamos por bem fazer esse trabalho para ele", explicou o agricultor Janilto Roveda, um dos amigos que teve a iniciativa. A ideia surgiu em um grupo de aplicativo de mensagem que reúne 10 famílias da região. Ele conta que no início nem imaginavam que tanta gente se colocaria à disposição. "Para nossa surpresa todo mundo foi parceiro, nas horas boas e nas horas ruins esse grupo funciona 100%", completou Roveda. Família de agricultores de Orleans foi diagnosticada com Covid-19 e teve que suspender trabalho na plantação NSC TV/Reprodução A enfermeira e nora de Augustinho, Talia Martins Carboni, contou que inicialmente ele fez o tratamento para sete dias, mas foi piorando aos poucos. "Foi onde passou pra pneumonia. Para a gente era um momento de tristeza, a gente sempre via nos noticiários de televisão as intubações e quando a gente viu que a nossa família estava na beira né, a gente acabou ficando bem triste", disse. No dia combinado, as famílias foram até a plantação de fumo de Augustinho para fazer o trabalho que estava atrasado. Luzia Ascari Salvalagio, uma das voluntárias, contou que o grupo chegou ao local sem avisar Augustinho, para fazer uma surpresa. "Muita emoção na hora, porque ver todo aquele pessoal aqui na frente da casa com uma enxada cada um, qualquer um se emociona né?", recordou o agricultor, que se recupera da doença. Famílias se reuniram para cuidar da plantação de fumo, em Orleans, no Sul catarinense NSC TV/Reprodução Emoção compartilhada também por quem se dispôs a ajudar. Para Salvalagio, não foi preciso pensar quando o amigo precisou da ajuda. "Eu acho que essa pandemia veio pra mostrar pra nós e pra todo mundo que, apesar do ser humano ser um homem super dotado de inteligência e de poder, são essas simples atitudes que podem fazer a diferença. O importante não é a gente ter, o importante é a gente ser pessoas de fé, pessoas amigas, ser solidárias, ser pessoas companheiras que nas horas de dificuldades essas virtudes vão se sobressair", finalizou. Initial plugin text Assista aos vídeos do Jornal do Almoço Veja mais notícias do estado no G1 SC
O índice FTSEurofirst 300 caiu 0,51%, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 perdeu 0,52%. As ações europeias caíram nesta terça-feira (29), após sólidos ganhos na sessão anterior, com bancos, setores de energia e seguradoras recuando à medida que os casos de coronavírus aumentavam globalmente. Os investidores estavam trabalhando em modo de espera antes do primeiro debate do candidato democrata à presidência dos Estados Unidos, Joe Biden, contra o atual presidente, Donald Trump, cinco semanas antes das eleições. O confronto de 90 minutos será televisionado nesta terça-feira, com os investidores buscando orientações sobre as perspectivas de política econômica dos candidatos. O índice FTSEurofirst 300 caiu 0,51%, a 1.403 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 perdeu 0,52%, a 361 pontos, em linha com os movimentos dos mercados globais, também de olho no progresso das negociações de mais estímulos fiscais nos EUA. Os bancos devolveram alguns dos ganhos da sessão anterior, quando saltaram 5,6%, enquanto outros setores economicamente sensíveis, como seguradoras e empresas de energia, recuaram mais de 1,5% depois que o número mundial de mortes por Covid-19 superou a marca de 1 milhão, segundo uma contagem da Reuters. Ainda assim, muitos investidores contavam com o estímulo contínuo de bancos centrais e governos para sustentar a economia global, que está cambaleando diante da crise de saúde. Em LONDRES, o índice Financial Times recuou 0,51%, a 5.897 pontos. Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 0,35%, a 12.825 pontos. Em PARIS, o índice CAC-40 perdeu 0,23%, a 4.832 pontos. Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 0,52%, a 19.061 pontos. Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou baixa de 1,15%, a 6.713 pontos. Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizou-se 1,35%, a 4.033 pontos. Assista as últimas notícias de economia i
No acumulado do ano, déficit primário das contas do governo supera R$ 600 bilhões. Gastos extraordinários e queda de arrecadação, motivados pela pandemia, influenciaram o resultado. As contas do governo registraram um déficit primário de R$ 96,096 bilhões em agosto, informou nesta terça-feira (29) a Secretaria do Tesouro Nacional. Trata-se do pior resultado para o mês desde o início da série histórica, em 1997, ou seja, em 24 anos. Em agosto do ano passado, o déficit fiscal somou R$ 17,230 bilhões. Déficit primário ocorre quando as despesas superam as receitas. Nessa conta não são considerados os gastos do governo com o pagamento de juros da dívida pública. O rombo recorde está relacionado ao aumento de despesas para combater a pandemia da Covid-19. As medidas de restrição derrubaram a atividade econômica e levaram a diversas medidas de adiamento da cobrança de impostos. Brasil tem tombo histórico no PIB do segundo trimestre por causa da pandemia Segundo o Tesouro Nacional, porém, a arrecadação melhorou no mês passado. "Diferentemente dos meses anteriores, a receita total do mês de agosto de 2020, quando comparada à do mesmo mês de 2019, apresentou elevação real de 1%, ao passo que de abril a julho deste ano a receita total teve redução real", informou. Parcial do ano No acumulado dos oito primeiros meses deste ano, ainda segundo informações do Tesouro Nacional, as contas do governo apresentaram um déficit primário de R$ 601,283 bilhões. Esse também foi o pior resultado da série histórica, iniciada em 1997, para esse período. De janeiro a agosto do ano passado, o rombo fiscal somou R$ 52,066 bilhões. Para este ano, somente o governo tinha de atingir uma meta de déficit primário de até R$ 124,1 bilhões. Entretanto, com o decreto de calamidade pública por conta da pandemia do coronavírus, não será mais necessário atingir esse valor. Alta na dívida e ajuste fiscal Por conta do rombo recorde nas contas públicas neste ano, o Tesouro Nacional estimou que a dívida bruta do setor público, que inclui também estados, municípios e empresas estatais, avançará para 94% do PIB no fim deste ano — "muito elevada se comparada com a média esperada para países emergentes de 62% para 2020". "Desta forma, torna-se fundamental acelerar o processo de consolidação fiscal para garantir o ambiente de juros baixos, a recuperação da capacidade de investimento do setor público e a segurança no financiamento das políticas públicas", acrescentou a instituição. Para o Tesouro Nacional, a crise que o país enfrenta pode se transformar em um "momento promissor para o avanço nas reformas, com foco na consolidação fiscal e na produtividade da economia brasileira". "Somente a continuidade da agenda de reformas pode manter um ambiente econômico favorável para a atração de investimentos, com juros baixos e inflação controlada, permitindo um crescimento sustentável da economia brasileira, o que é fundamental para o reforço do processo de ajuste fiscal e para o controle da dívida pública bruta e líquida", acrescentou. Dentre as reformas necessárias, o Tesouro Nacional cita a necessidade de aprovação da PEC do Pacto Federativo e da Reforma Administrativa, e também avançar nas reformas que influenciam o crescimento econômico, como a reforma tributária e projetos de modernização dos marcos regulatórios, entre outros. "Quanto mais rápido conseguirmos criar o consenso político para a aprovação dessas reformas, mais rápido poderá ser a retomada do investimento, o crescimento da economia, a criação de empregos e o aumento da renda da população", concluiu.

Eleitores com acesso à internet poderão navegar pela página de forma gratuita, sem gastar dados. Acordo foi firmado entre TSE e operadoras de telefonia nesta terça (29). Site da Justiça Eleitoral não consumirá dados durante as eleições 2020 Divulgação O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e as operadoras de telefonia móvel firmaram nesta terça-feira (29) uma parceria para oferecer acesso gratuito ao site da Justiça Eleitoral nas eleições de 2020. Até 29 de novembro, data do segundo turno, os eleitores com acesso à internet poderão navegar pela página sem o consumo de dados de suas franquias móveis. Eleições 2020: conheça regras Votação na pandemia: o que muda? "Grande parte da população tem pacote de dados limitados", afirmou Luís Roberto Barroso, presidente do TSE. A assinatura do acordo foi realizada nesta manhã entre Barroso e o SindiTelebrasil, que representa as operadoras de telefonia no Brasil. O objetivo, segundo o TSE, é facilitar o acesso dos eleitores a "informações confiáveis sobre o processo eleitoral". Saiba mais sobre as leis eleitorais Funciona Assim: Mudanças na lei eleitoral e como são eleitos os vereadores Funciona assim; série explica as eleições Initial plugin text
Empresas que estão contratando são: Johnson & Johnson, Ypê, Pirelli, Royal DSM e Espro. As empresas Johnson & Johnson, Ypê, Pirelli, Royal DSM e Espro estão selecionando para programas de estágio, trainee e jovem aprendiz. Veja abaixo os detalhes das vagas: Veja mais vagas de emprego pelo país Johnson & Johnson A Johnson & Johnson, companhia global de saúde, anunciou a abertura de seus programas de estágio e trainee para 2021. A novidade dos processos é que o inglês deixa de ser exigência para todos os candidatos a estagiários e em algumas áreas de trainee para ampliar os perfis dos candidatos. O processo seletivo para o programa de estágio 2021 será todo digital. Os interessados podem se inscrever até o dia 12 de outubro na página da empresa: https://mailchi.mp/b90cb705afe0/estagiojnj Podem se candidatar estudantes com graduação entre dezembro de 2021 e dezembro de 2022. As vagas, nas unidades de São Paulo e São José dos Campos, são para várias áreas de atuação, abrangendo disciplinas em Humanas, Exatas e Biológicas e Ciências da Saúde. O início das atividades para os selecionados será em janeiro e fevereiro de 2021. Além da bolsa-auxílio, a empresa oferece auxílio-transporte, 30 dias de recesso, plano médico e almoço nas duas unidades. A seleção para trainees deixará de exigir inglês para a maior parte das carreiras, também para diversificar os perfis dos candidatos avaliados. Os aprovados que precisarem do idioma vão receber apoio da companhia para desenvolver essa competência, que é relevante para o desenvolvimento de carreira em longo prazo. Todas as etapas serão online e as inscrições estarão abertas até 12 de outubro na página https://mailchi.mp/6bea6bceffc9/traineejnj. Podem participar quem possui graduação entre 2018 e 2020. Há oportunidades para trainees nas áreas comercial, marketing, pesquisa e desenvolvimento e supply chain, nas unidades da capital paulista, de São José dos Campos e no Centro de Distribuição em Guarulhos. O programa tem duração de dois anos, período em que os trainees realizam rotações, projetos, capacitação e desenvolvimento de competências técnicas e comportamentais voltadas para desenvolvimento da sua liderança. As atividades terão início em fevereiro de 2021. Ypê A Ypê, empresa brasileira de produtos de limpeza e higiene, está com as inscrições abertas para o seu Programa de Estágio 2021 até 30 de setembro (quarta-feira). Todo o processo será online. Podem se candidatar estudantes de 19 a 25 anos que estejam no penúltimo ou último ano da graduação em 2021. As inscrições podem ser feitas por meio do site (www.estagioype.com.br). As vagas são para as unidades de Amparo (SP), Salto (SP), Anápolis (GO), Goiânia (GO), Simões Filho (BA) e São Paulo (SP). O trabalho começa no início de 2021. Pirelli Estão abertas as inscrições para o Programa de Estágio da Pirelli de 2021. Serão cerca de 100 vagas para novos talentos trabalharem na fabricante de pneus em oportunidades que passam por cargos em áreas como as de engenharia, marketing, inteligência de mercado, comunicação, qualidade, logística, recursos humanos, entre outras. As inscrições dos alunos dos ensinos universitários e técnicos deverão ser feitas até o dia 28 de outubro pelo site www.estagiopirelli.com.br. Os selecionados passarão pelas primeiras fases do processo ainda este ano e com início efetivo em janeiro de 2021. As bolsas auxílio para nível técnico vão de R$ 913 a 1.083. Para ensino superior/bacharelado, tecnólogo e licenciatura, vão de R$ 1.370 a R$ 1.625. Os benefícios são: auxílio transporte, vale refeição ou refeitório no local (dependendo da região), assistência médica, auxilio farmácia, seguro de vida, desconto na compra de pneus e gympass. As vagas de estágio são, em sua maioria, para São Paulo e Campinas, no estado de São Paulo, mas contemplam outras localidades também, como Feira de Santana, na Bahia. Os interessados, após fazerem a inscrição, farão testes e dinâmicas em plataformas de inteligência artificial, além de bate-papos com gestores, todos em formato online, sem a necessidade de estar presente fisicamente no local, respeitando o distanciamento social. Royal DSM A Royal DSM, empresa global baseada em ciência para nutrição, saúde e vida sustentável, recebe inscrições para seu Programa de Estágio até o dia 14 de outubro, pelo site http://www.ciadeestagios.com.br/vagas/dsm/. Para o primeiro ano, o salário é de R$1.725 e, no 2º ano de estágio, vai para o valor de R$ 1.935. A companhia vai ter como foco inclusão e diversidade e pretende aumentar o número de inscritos e contratados de estudantes negros, de diferentes etnias, LGBTQI+, pessoas com deficiência e mulheres. Como as vagas são destinadas a diversas áreas de atuação da DSM, podem se candidatar estudantes com previsão de concluir o curso entre dezembro de 2022 e julho de 2024 de diversos cursos, como Administração de Empresas, Biologia, Ciências dos Alimentos, Ciências da Computação, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas, Comércio Exterior, Direito, Economia, Engenharias, Farmácia, Matemática, Psicologia, Química, Relações Internacionais, Marketing ou Publicidade e Propaganda e Zootecnia. É desejável ter conhecimento em pacote Office e inglês para algumas vagas, e espanhol será considerado diferencial. As vagas são para os estados de São Paulo (Brotas, Campinas, Jaguaré e São Paulo) e Ceará (Pecém). Os selecionados terão como benefícios auxílio transporte ou fretado, vale-refeição ou refeitório no local, vale-alimentação, assistência médica e odontológica, seguro de vida e birthday off. Espro O Espro - Ensino Social Profissionalizante, instituição sem fins lucrativos que capacita e insere adolescentes e jovens no mundo do trabalho, está com 6 vagas abertas, na capital paulista, dentro do programa Jovem Aprendiz. Os candidatos devem ter entre 16 e 22 anos. As inscrições devem ser feitas até o dia 2 de outubro no site www.espro.org.br . Detalhes das vagas: Empresa Privada - 5 vagas - São Paulo Ensino médio - Horário: 10h às 16h - segunda a sexta-feira Salário: R$ 880 mais benefícios Empresa privada - 1 vaga - São Paulo Ensino Médio, Técnico ou cursando Superior - Horário: 8h às 14h - segunda a sexta-feira Salário: R$ 736 mais benefícios Assista a mais notícias de Economia:

Avaliado em R$ 90 milhões e localizado entre o Centro e a Zona Portuária, prédio foi o primeiro arranha-céu da América Latina. Construído em 1929, com 22 andares e 102 metros de altura, imóvel está abandonado há décadas, mas já foi sede da Rádio Nacional. União autoriza a venda do edifício "A NOITE" O Ministério da Economia autorizou a venda do Edifício A Noite, na Praça Mauá. Avaliado em R$ 90 milhões e localizado entre o Centro e a Zona Portuária da cidade, o prédio foi o primeiro arranha-céu do Brasil e, durante muito tempo, o mais alto da América Latina. A autorização foi feita por meio da portaria 21.347 do Ministério da Economia, publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira (29). Praça Mauá, com o Edifício A Noite e o Museu de Arte do Rio Alexandre Macieira/Riotur Construído em estilo Art-déco em 1929, e com 22 andares e 102 metros de altura, o imóvel está abandonado desde 2012, mas já foi a antiga sede da Rádio Nacional. O edifício também abrigava o jornal A Noite, do qual o prédio, originalmente batizado de Joseph Gire, herdou o nome pelo qual acabou conhecido. Leilão Portaria do Ministério da Economia autoriza venda do Edifício A Noite. Reprodução O prédio faz parte de uma lista de mais de três mil imóveis da União que devem ser vendidos à iniciativa privada. Peritos já fizeram uma vistoria nos amplos salões e corredores do imóvel. Em maio, foi desmontado um dos últimos espaços históricos do edifício. Foi lá onde funcionou o estúdio de Rádio Teatro da Rádio Nacional, que produziu inúmeros programas de sucesso entre os anos 1940 e 1960. Na última década, apenas alguns andares vinham sendo ocupados por instituições federais. Com a vistoria, o prédio foi liberado e deve ser leiloado.

No caso do diesel, alta é a primeira desde a anunciada em 20 de agosto. Litro da gasolina, em Cruzeiro do Sul Gledson Albano/Rede Amazônica Acre A Petrobras elevará os preços médios da gasolina em suas refinarias em 5% a partir de quarta-feira, informou a companhia nesta terça-feira (29). Já o valor do diesel vai subir 3%. No caso da gasolina, é o segundo aumento seguido, após reajuste de 4% na semana passada que se seguiu a três quedas consecutivas. No diesel, combustível mais utilizado do Brasil, a alta será a primeira desde a anunciada em 20 de agosto. Desde então, a Petrobras havia reduzido o valor por três oportunidades. Segundo o presidente da Associação Brasileira de Importadores de Combustíveis (Abicom), Sérgio Araujo, as janelas para importações continuam fechadas, apesar de reajuste do valor da Petrobras. Quedas no ano Os preços dos combustíveis caíram fortemente a partir de março, em meio aos impactos da pandemia de coronavírus sobre o mercado de petróleo e combustíveis, e chegaram a tocar mínimas abaixo de 1 real por litro em meados de abril antes de voltarem a subir. Dados do IBGE mostram que o preço da gasolina recuou 0,45% em média no país em agosto, acumulando uma queda de 5,93% nos 8 primeiros meses do ano. Assista as últimas notícias de economia
Antes mesmo do funcionamento do sistema, golpistas usaram o cadastro da Chave PIX para roubo de dados. Instituições financeiras poderão reter transferências por até uma hora em caso de suspeita de irregularidade. Diretor do Banco Central afirma que PIX é um meio de pagamento tão seguro quanto os outros Em entrevista à GloboNews, o economista João Manoel Pinho de Mello, diretor do Banco Central, afirmou que o PIX, novo sistema de pagamentos brasileiro, é "um meio de pagamento tão seguro quanto outros meios que já existem" e que os procedimentos de segurança foram feitos do zero, da forma mais moderna que se conhece. "O PIX foi criado em coparticipação com os bancos e suas áreas a de segurança. Os procedimentos são o que há de melhor no mercado", diz. Na semana passada, iniciaram-se relatos de tentativa de golpes usando o PIX. No primeiro deles, como mostrou o blog do Altieres Rohr, criminosos estão enviando e-mails fraudulentos tentando se passar por avisos de pré-cadastro do sistema de pagamentos PIX. O cadastro da Chave PIX, sistema de identificação da plataforma, também foi usado por criminosos para induzir clique em um link que leva a um site falso e rouba dados da vítima. Golpistas usam cadastro no PIX para roubar dados de consumidores Há preocupação também em relação à rapidez das operações. O PIX efetiva pagamentos em até 10 segundos, o que poderia ajudar prática que induzem ao erro parte dos usuários. O diretor do BC discorda. "A questão de instantaneidade não adiciona insegurança. No cartão de débito, o dinheiro sai da conta na hora, isso não adiciona perigos ou insegurança de fraude que já existem hoje", afirmou o diretor do BC. Ao G1, o chefe-adjunto do Departamento de Competição e de Estrutura do Mercado Financeiro do Banco Central, Carlos Eduardo Brandt informou que instituições financeiras poderão reter transferências e pagamentos feitos por meio do PIX por até uma hora em caso de suspeita de fraude. PIX: novo sistema de transferência de dinheiro será mais rápido e sem tarifa Competição Pinho de Mello esclarece também que o PIX não tem a intenção transformar o BC em uma instituição de serviços bancários, mas quer viabilizar um instrumento de competição para bancos e financeiras que usem o produto. "O Banco Central não vai prestar nenhum serviço para usuários finais, os pagadores e destinatários. Vai disponibilizar uma infraestrutura super barata e eficiente para que empresas usem e compitam entre si para entregar bons serviços para seus usuários", diz Pinho de Mello. Segundo ele, o papel do BC é permitir a transferência de dinheiro a qualquer momento e dar celeridade à informação da transação bancária. Isso significa que a interface e as validações de segurança serão feita inteiramente pelo banco ou instituição de pagamentos. Assista as últimas notícias de economia

São mais de 200 oportunidades em Piracicaba, São Pedro, Águas de Lindóia e Itupeva. Currículos podem ser enviados até o início de outubro para diversas funções. Reabertura de parques temáticos estimula geração de empregos na região de Campinas Os parques aquáticos reabrem na região de Piracicaba (SP) e Campinas (SP) a partir desta sexta-feira (2). Além da opção de turismo, os empreendimentos também oferecem mais de 200 vagas de emprego nas cidades de Piracicaba (SP), São Pedro (SP), Águas de Lindóia (SP) e Itupeva (SP). (Veja no final da reportagem como se candidatar) As atrações começam a funcionar seguindo todas as medidas de segurança para evitar a disseminação do coronavírus. Entre as recomendações que os parques têm que seguir estão o limite de horário, que só podem reabrir por oito horas diárias, e também de público, com um máximo de 40% da capacidade. O uso de máscara é obrigatório também. Thermas Water Park em São Pedro (SP) Divulgação/Thermas Também haverá medição de temperatura na entrada das atrações e os ingressos só são vendidos antecipadamente para ter controle de acesso. A fiscalização fica a cargo das prefeituras. Oportunidades de emprego Nos quatro parques da região, são mais de 200 vagas de emprego. Veja as oportunidades e como se candidatar: Vale das Águas (Piracicaba) O Parque Vale das Águas em Piracicaba tem 70 oportunidades, sendo: 20 fixos e 50 free lancers. O parque vai abrir no dia 1º de outubro. As vagas são para atendente, bombeiro civil, vendedor, barman e gerente de hotelaria. O requisito para a vaga é já ter experiência na função. Para se candidatar, é preciso enviar um currículo, até o dia 12 de outubro, para: [email protected] Mais informações pelo telefone: (19) 3438-7700. Thermas Water Park (São Pedro) O Thermas de São Pedro ainda tem 30 vagas disponíveis. No total são 250 pessoas contratadas. As oportunidades abertas são para cozinha, serviços gerais, auxiliar de limpeza, auxiliar de manutenção, atendente de lanchonete, auxiliar de marcenaria e auxiliar de serralheira. Os candidatos devem enviar o currículo até esta quarta-feira (30) para o e-mail [email protected], informando no assunto do e-mail a área de interesse. O parque vai reabrir ao público na próxima sexta feira com público de 35%. Os novos funcionários vão passar por treinamento e nem todos começam a trabalhar de imediato. Parque Aquático Hot World (Águas de Lindóia) O parque de Águas de Lindóia tem 24 vagas para a área administrativa e operacional. As vagas são para: chefe de cozinha (1), ajudante de cozinha (5), recepcionista (4), atendente (8), analista de RH (1), recreacionista (4), analista de TI (1). Cada vaga tem um pré-requisito específico e mais detalhes devem ser consultados pela internet (acesse o site aqui). Para se candidatar, basta enviar o currículo até o dia 5 de outubro para o e-mail: [email protected] A reabertura do parque está programada para o dia 9 de outubro. Wet'N Wild (Itupeva) O parque em Itupeva está com mais de 100 oportunidades para contratos intermitentes e temporários. As vagas abertas são para as funções de operador de atração, salva-vidas, atendente de caixa, atendente de lanchonete, auxiliar de cozinha, segurança e auxiliar de limpeza, atendente de televendas e analista de marketing. Para se candidatar, é preciso ter disponibilidade para trabalhar aos finais de semana e feriados, e residir em Jundiaí (SP) e região. Os candidatos podem enviar seu currículo para o e-mail [email protected], colocando no assunto a vaga pretendida. Os currículos podem ser encaminhados até a primeira quinzena de outubro. Veja mais notícias da região no G1 Piracicaba

Sistema 'Amazon One' utiliza biometria para fazer a autenticação de dados do cartão de crédito. Empresa pretende disponibilizar tecnologia para outros setores, incluindo acesso a shows e escritórios. 'Amazon One' utiliza características da palma da mão para autenticar pagamentos ou acessos. Amazon/Divulgação A Amazon anunciou nesta terça-feira (29) que realizará testes de uma tecnologia de biometria para autenticar pagamentos usando a palma da mão. Chamado de 'Amazon One', o sistema irá identificar um cliente e os dados de cartão de crédito no momento em que a pessoa posicionar sua mão sobre uma estação com câmera. A novidade estará nas lojas físicas da empresa em Seattle, nos EUA, que já contam com sistemas de pagamento que dispensam caixas. O dispositivo poderá ser usado pelas pessoas que não quiserem colocar as compras no carrinho automatizado ou não tiver o app da loja. Saiba mais: Amazon inaugura novo conceito de supermercado sem caixas Quem optar pela autenticação da palma da mão não precisa ter uma conta na Amazon: ao chegar na loja, é necessário fazer o cadastro da palma da mão em um dos aparelhos, inserir o cartão de crédito e associar número de telefone. Esses dados podem ser apagados no site do Amazon One. A companhia defende que a palma da mão traz mais benefícios de privacidade em relação a outras tecnologias como o reconhecimento facial, embora precise construir um banco de dados com informações de clientes. "Você não pode determinar a identidade de uma pessoa olhando para uma imagem da palma de sua mão", disse Dilip Kumar, vice-presidente de negócios físicos da Amazon. "Também exige que uma pessoa faça um gesto intencional ao colocar a palma sobre o dispositivo para realizar a autenticação", completou. Aparelho de autenticação poderá ser disponibilizado para outras áreas. Amazon/Divulgação Segundo a empresa, esse tipo de autenticação biométrica é segura, já que cada pessoa tem características únicas na mão que formam uma espécie de “assinatura digital”. A Amazon vai expandir os testes em mais de suas lojas nos próximos meses, mas planeja oferecer essa nova autenticação em outros setores. O sistema pode ser utilizado para substituir ingressos em shows e estádios ou crachás de acessos em empresas, por exemplo. Veja mais conteúdo sobre tecnologia: A diferença é que o dispositivo poderá ser usado pelas pessoas que não quiserem colocar as compras no carrinho automatizado ou não tivr
Nordeste tem a maior proporção de domicílios que dependeram exclusivamente da renda extra. Levantamento aponta que entre os domicílios mais pobres do país, benefício do governo federal fez a renda domiciliar aumentar em 132%. Quatro milhões de domicílios sobreviveram apenas com o auxílio emergencial em agosto Um estudo divulgado nesta terça-feira (29) pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) aponta que, em agosto, cerca de 4,2 milhões de domicílios brasileiros tiveram como única fonte de renda o Auxílio Emergencial de R$ 600 do governo federal. Segundo o levantamento, o Nordeste foi a região do país com a maior proporção de domicílios que contaram apenas com o benefício, sem qualquer outra fonte de renda. Nos estados do Piauí e da Bahia, passou de 13% o total de famílias dependentes exclusivamente do auxílio. Sem auxílio emergencial, cerca de 6,6 milhões de domicílios teriam renda mensal per capita de R$ 12, diz IBGE Só 56% dos aprovados fora do Bolsa Família devem receber todas as 4 parcelas de R$ 300 do Auxílio Emergencial Veja o calendário completo de pagamentos do Auxílio Emergencial Tira dúvidas sobre o Auxílio Emergencial O Ipea apontou que a ajuda financeira foi suficiente para superar em 41% a perda da massa salarial entre as pessoas que permaneceram ocupadas em agosto. Entre os domicílios mais pobres, no entanto, a alta na renda habitual no mês foi de 132% do que teria sido sem o recebimento do auxílio. O autor da pesquisa, Sandro Sacchet, apontou que “o papel do Auxílio Emergencial na compensação da renda perdida em virtude da pandemia foi proporcionalmente maior do que no mês anterior”. Na comparação com julho, de modo geral, os trabalhadores receberam em agosto 89,4% dos rendimentos habituais (2,3 pontos percentuais acima de julho) – R$ 2.132 em média, contra uma renda habitual de R$ 2.384. Quatro milhões de domicílios sobreviveram apenas com o auxílio emergencial em agosto Já os trabalhadores do setor privado sem carteira assinada receberam 86,1% do habitual (contra 85% no mês anterior). Trabalhadores do setor privado com carteira e funcionários públicos continuaram a obter, em média, mais de 94% do rendimento habitual. O Ipea destacou que a recuperação do nível de renda foi maior entre os trabalhadores por conta própria, que receberam em agosto 76% do que habitualmente recebiam, contra 72% em julho, alcançando rendimentos efetivos médios de R$ 1.486. “Ainda que tenham recuperado parcela mais significativa da perda salarial devido à pandemia, os conta-própria continuam tendo um dos menores índices de renda efetiva”, enfatizou o estudo. Ainda segundo o Ipea, grupos de trabalhadores que mais sofreram os impactos da pandemia também apresentaram recuperação da renda mensal em agosto. É o caso dos trabalhadores de atividades artísticas, esportivas e recreação, que tiveram aumento médio de 15% na renda. Assista aos últimos vídeos sobre o Auxílio Emergencial:

Aérea segue movimento de outras companhias aéreas globais na adoção de linguagem mais inclusiva para os passageiros. Aeronave da Japan Airlines, que apresenta mapa do assento do bebê para permitir que os passageiros evitem bebês Divulgação A Japan Airlines (JAL) anunciou que irá deixar de usar a expressão em inglês “ladies and gentlemen” (em português, "senhoras e senhores"), passando a saudar os passageiros apenas com cumprimentos de gênero neutro como “bom dia” ou “boa noite”, seguindo outras companhias aéreas globais na adoção de linguagem mais inclusiva para os passageiros. A medida será adotada a partir de 1º de outubro em voos e aeroportos em todo o mundo operados pela companhia. Segundo informou a mídia local, “Atenção a todos os passageiros” e “Bom dia a todos” ("attention all passengers” e “good morning everyone”, em inglês) estarão entre os novos termos adotados. “Aspiramos ser uma empresa onde possamos criar uma atmosfera positiva e tratar a todos, incluindo nossos clientes, com respeito”, disse à Reuters o porta-voz da Japan Airlines, Mark Morimoto. "Temos o compromisso de não discriminar com base em gênero, idade, nacionalidade, raça, etnia, religião, deficiência, orientação sexual, identidade de gênero ou outros atributos pessoais", acrescentou. O anúncio ocorre no momento em que os defensores da igualdade de gênero afirmam que o apoio corporativo aos direitos LGBT+ está crescendo no Japão socialmente conservador, onde o casamento entre pessoas do mesmo sexo não é permitido e continua sendo visto como tabu. Várias companhias aéreas ao redor do mundo já fizeram mudanças semelhantes em seus protocolos. A Air Canada e a companhia aérea europeia de baixo custo EasyJet anunciaram no ano passado que abandonariam "senhoras e senhores". Segundo as agências internacionais, a JAL é a primeira companhia aérea asiática a adotar essa prática. Em março, a Japan Airlines anunciou que permitiria que as comissárias usassem calças e abandonassem seus saltos altos no trabalho, após uma campanha feminista que decolou. Veja vídeos: últimas notícias de Economia no Brasil e no mundo
Programa lançado pelo governo na véspera prevê mineração em novas áreas, incluindo indígenas, contemplando também questões relacionadas à sustentabilidade dos projetos. Os investimentos na mineração no Brasil nos próximos quatro a cinco anos devem atingir cerca de US$ 40 bilhões, disse o presidente do Conselho do Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram), Wilson Brumer, na abertura de seminário sobre financiamento e acesso ao mercado de capitais para o setor mineral. Segundo ele, o Brasil tem enorme potencial para ser desenvolvido, e a ampliação de pesquisas minerais pela Agência Nacional de Mineração (ANM), "liberando centenas de áreas", permite que o setor eleve suas projeções de investimentos. Na última sexta-feira, o Ibram havia elevado suas projeções de investimentos em novos projetos de mineração, expansões e gestão e segurança de barragens de rejeitos no Brasil em US$ 4,5 bilhões, para US$ 37 bilhões no período de 2020 a 2024, na comparação com uma cifra divulgada no início do ano. O seminário sobre financiamento ao setor de mineração ocorre um dia depois de o governo brasileiro ter lançado um programa de Mineração e Desenvolvimento. O programa tratará de mineração em novas áreas, incluindo indígenas, contemplando também questões relacionadas à sustentabilidade dos projetos, afirmou o secretário de Geologia, Mineração e Transformação Mineral, Alexandre Vidigal de Oliveira. Em declaração no evento desta terça-feira, a secretária-executiva do Ministério de Minas e Energia, Marisete Pereira, disse que é importante incluir a indústria de mineração na estrutura de captação de recursos para elevar o desenvolvimento desse setor. Ela ressaltou a importância de investimentos em minerais que podem contribuir para a transição energética, considerando matérias-primas para a produção de baterias. Ela ressaltou ainda que muitos metais podem contribuir para a neutralização das emissões de dióxido de carbono. Mineração em terras indígenas A mineração em terras indígenas é uma das bandeiras do presidente, que por essa posição enfrenta críticas de ambientalistas e alguns representantes da sociedade civil que consideram que a exploração pode afetar as comunidades e o meio ambiente. Trataremos do avanço da mineração em novas áreas. Um grande desafio, ao qual já começamos a trabalhar, senhor presidente, como bem retrata o PL 191, da mineração em área indígena, um direito constitucional --e entendemos, chegou a hora de enfrentá-lo com seriedade", disse Oliveira na véspera, em evento ao lado de Jair Bolsonaro. O secretário destacou, contudo, que o plano federal tem compromissos com questões socioeconômicas e ambientais, "ou seja, com a sustentabilidade". O plano, que desde 2019 vem sendo trabalhado e apresentado aos diversos agentes, tanto do setor público quanto privado que atuam ou têm interesse pela mineração, contempla 110 metas bem definidas, além de ações em dez áreas de concentração temática para a mineração no período de 2020 a 2023, segundo nota do Ministério de Minas e Energia. O programa trata também de questões referentes à economia mineral, conhecimento geológico, investimentos e financiamentos para o setor mineral, à tecnologia e à inovação mineral. Corte de orçamento da Agência Nacional de Mineração preocupa segurança de barragens Assista: últimas notícias de economia

Ibovespa fechou em queda de 1,15%, aos 93.580 mil pontos. A bolsa de valores brasileira, a B3, fechou novamente em território negativo nesta terça-feira (29), com o mercado ainda avaliando o risco fiscal da proposta do programa social Renda Cidadã, anunciado na véspera, além de um sentimento de cautela antes do primeiro debate das eleições presidenciais dos Estados Unidos. O Ibovespa caiu 1,15%, aos 93.580 mil pontos. Veja mais cotações. Com o resultado, passou a acumular baixa de 5,83% no mês e perda de 19,08% no ano. O dólar, por sua vez, fechou perto da estabilidade, cotado a R$ 5,6389. Na segunda-feira (28), a bolsa fechou em queda de 2,41%, a 94.666 pontos – pior pontuação desde 26 de junho (93.834 pontos). Mercado reage de forma negativa após o governo anunciar como vai financiar Renda Cidadã Cenários O mercado recebeu negativamente as medidas anunciadas pelo governo para financiar o novo programa social do governo, batizado de Renda Cidadã. Após as reações do mercado financeiro e no mundo político, assessores próximos do presidente Jair Bolsonaro começaram a defender uma mudança no programa, segundo informa o Blog da Ana Flor. Para especialistas em contas públicas, a proposta de rolar o pagamento de precatórios – despesa obrigatória do governo com dívida pública judicial – para financiar um novo programa social foi uma ruptura, uma sinalização do abandono do compromisso fiscal. O senador Márcio Bittar (MDB-AC), relator da proposta de emenda à Constituição (PEC) emergencial, disse em entrevista à GloboNews que usar verba do pagamento de precatórios para financiar o programa social Renda Cidadã não é um calote. A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) divulgou, no entanto, parecer em que classifica como inconstitucional a proposta. Cena externa Nos EUA, o presidente Donald Trump e o desafiante democrata Joe Biden irão realizar nesta terça o seu primeiro debate televisivo de 90 minutos em Cleveland, Ohio, cinco semanas antes das eleições. Na Europa, a confiança econômica da zona do euro melhorou mais do que o esperado em setembro, graças principalmente a um aumento no otimismo do setor de serviços apesar das preocupações com uma segunda onda do coronavírus. A pesquisa mensal da Comissão Europeia mostrou que o sentimento nos 19 países que usam o euro subiu a 91,1 pontos este mês de 87,5 em agosto, superando as expectativas do mercado. Já o Banco Mundial avaliou que a pandemia de coronavírus deve levar a região do Leste Asiático e Pacífico, bem como a China, a registrar o crescimento mais lento em mais de 50 anos, enquanto até 38 milhões de pessoas serão levadas à pobreza. O banco afirmou que a região deve crescer neste ano apenas 0,9%, taxa mais fraca desde 1967. Variação do Ibovespa em 2020 G1 Veja vídeos: últimas notícias de Economia

Programas acumularam 120 mil downloads, de acordo com dados da loja. Aplicativos devem ser removidos automaticamente dos aparelhos. Ícones dos apps removidos da Play Store após análise da Zscaler Zscaler/Reprodução O Google removeu 17 aplicativos da loja Play Store que estavam contaminados com um vírus para Android conhecido como "Joker". De acordo com a empresa de segurança Zscaler, que disse ter realizado a denúncia ao Google e publicou uma análise dos apps, os programas conseguiram obter 120 mil downloads. O vírus Joker, que estava presente nos aplicativos, é conhecido desde 2017. Ele realiza fraudes de pagamentos, seja nos próprios aplicativos – com assinaturas irregulares – ou por meio de compras realizadas por meio de SMS. O vírus também captura mensagens de SMS e a lista de contatos. Os programas maliciosos foram cadastrados na loja oficial do Android com a promessa de realizar funções como digitalizar e converter documentos para PDF, traduzir texto, enviar mensagens seguras e editar fotografias. Caso algum dos 17 apps maliciosos tenha sido instalado, ele deve ser automaticamente removido do aparelho pelo Google Play Protect. Esse sistema de segurança faz parte da Play Store e analisa todos os programas instalados e baixados no aparelho. O Play Protect faz análises periódicas no aparelho. Para iniciar uma análise manual, abre o app da Play Store e procure a opção "Play Protect" no menu. Como o Joker se 'esconde' Em janeiro, o Google revelou que já removeu mais de 1.700 aplicativos contendo o Joker (que a empresa chama de "Bread") desde a sua descoberta em 2017. Em julho e agosto, outros 17 aplicativos com o Joker foram identificados pelas empresas de segurança Check Point e Pradeo. Especialistas apontam que o Joker adota diversas técnicas para burlar mecanismos de segurança e não ser detectado pelos filtros da loja do Google. O código do vírus é sempre baixado após a instalação inicial do app, o que significa que a versão cadastrada na Play Store não contém a praga digital. Embora o vírus em si atue quase sempre da mesma maneira, o método utilizado para baixá-lo varia de um app para outro. A Zscaler informou, por exemplo, que alguns utilizam uma instalação de dois estágios – ou seja, o app malicioso aparentemente inofensivo cadastrado na Play Store baixa outro app malicioso (primeiro estágio) que então baixa o vírus (segundo estágio). Em outras versões, o download ocorre em uma única etapa, mas o mecanismo para esconder o endereço varia – desde criptografia até palavras "inúteis" no meio do endereço, que são ignoradas pelo código. Com essas pequenas diferenças, não é fácil detectar todos os apps maliciosos cadastrados na Play Store após uma única versão do vírus ser identificada, nem adotar filtros capazes de identificar versões futuras do programa. Usuários, no entanto, podem se precaver evitando a instalação de aplicativos com avaliações muito baixas, cadastrados recentemente ou com outros sinais suspeitos. Como saber se você está baixando um aplicativo legítimo ou oficial Dúvidas sobre segurança, hackers e vírus? Envie para [email protected] Veja mais conteúdo sobre tecnologia
Inflação na indústria acumula avanço de 10,80% no ano e de 13,74% em 12 meses. Os preços ao produtor no Brasil renovaram a maior alta da série histórica em agosto, em um resultado que se deve principalmente à elevação no custo dos alimentos e das atividades relacionadas ao refino de petróleo e biocombustíveis, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira (29). O Índice de Preços ao Produtor (IPP) subiu 3,28% em agosto após alta de 3,22% em julho, quando já havia atingido o maior nível da série histórica iniciada em janeiro de 2014. Após o 13º aumento mensal consecutivo, o IPP acumula avanço de 10,80% no ano e a inflação em 12 meses chegou a 13,74%. O IPP mede a variação dos preços de produtos na “porta da fábrica”, sem impostos e frete, de 24 atividades das indústrias extrativas e da transformação. IGP-M: índice que corrige o aluguel dispara para 4,34% em setembro Os dados mostram que, pela primeira vez, todas as 24 atividades pesquisadas apresentaram alta nos preços, segundo o IBGE. A atividade de alimentos, que tem o principal peso no índice geral, passou a subir 4,07% em agosto, registrando a maior variação desde março (4,23%). "Foram quatro produtos que mais impactaram o resultado da indústria alimentar: farelo de soja, óleo de soja, arroz descascado branqueado e leite esterilizado UHT longa vida”, explicou o gerente do IPP, Manuel Campos Souza Neto, em comunicado. “O arroz e os produtos de soja são também influenciados pelos preços do mercado externo, pois também são exportados", completou. A alta de 6,24% do preço do refino de petróleo e produtos do álcool na comparação com julho também se destacou no mês, no terceiro mês consecutivo de alta. Risco de repasses ao consumidor O fato da inflação ao produtor ter disparado nas últimas leituras acendeu o alerta quanto a repasses para os consumidores. O Banco Central reconheceu um descolamento grande entre a inflação ao produtor (IPA), mais alta, e ao consumidor (IPCA), mais baixa, com a diferença observada em agosto tendo sido a maior desde 2003 considerando variações em trimestres móveis, e indicou que deverá haver algum repasse ao IPCA à frente. Mas o presidente da autarquia, Roberto Campos Neto, afirmou que o BC tem posição de absoluta tranquilidade em relação à inflação, reconhecendo que há pressão no curto prazo, mas sem perspectiva de que transborde para os anos à frente. Os economistas do mercado financeiro voltaram a estimar inflação acima de 2% para 2020 — algo que não acontecia desde o final de abril, segundo boletim Focus do Banco Central divulgado nesta segunda-feira. Para o IPCA, a estimativa agora é de uma alta de 2,05% no ano. A expectativa, porém, segue abaixo da meta central, de 4%, e também do piso do sistema de metas, que é de 2,5% em 2020. Alta de preço nos alimentos eleva prévia da inflação Assista: últimas notícias de economia
À GloboNews, senador Márcio Bittar disse que pandemia justifica emprego de parte da verba dos precatórios para atender população mais pobre. Medida foi anunciada pelo governo na segunda (28). Senador Marcio Bittar (MDB-AC) sobre o Renda Cidadã: ‘De algum lugar tem que sair o dinheiro’ O senador Márcio Bittar (MDB-AC), relator da proposta de emenda à Constituição (PEC) emergencial, disse em entrevista à GloboNews nesta terça-feira (29) que usar verba do pagamento de precatórios para financiar o programa social Renda Cidadã não é um calote. Precatórios são dívidas do governo já reconhecidas pela Justiça. No projeto do Orçamento para 2021, o governo reservou R$ 55 bilhões para saldar esses débitos. Nesta segunda-feira (28), o presidente Jair Bolsonaro e aliados informaram que parte do valor será usado como fonte para o Renda Cidadã. Na entrevista, o senador disse que a pandemia de Covid-19 justifica o remanejamento da verba, para atender as camadas mais pobres da população, que ficarão sem o auxílio emergencial a partir de janeiro. "Não é calote. Você deve o sujeito da bodega da esquina, R$ 1000. Mas naquele momento não tinha pandemia. Chega o credor, olha, 'te devo R$ 1000, mas não tenho como pagar, porque tenho parentes aqui que para se alimentar precisam de mim. Vou te pagar um terço', afirmou Bittar. "Os R$ 55 bilhões colocados no Orçamento nesse ano, não tinha pandemia, então vou te pagar um terço. E o restante eu vou atender cerca de 10 milhões de brasileiros que precisam se alimentar a partir de janeiro", continuou o senador. A repercussão da alternativa encontrada pelo governo para o Renda Cidadã foi ruim no mercado financeiro e no mundo político. A cotação do dólar subiu e o risco Brasil subiram depois do anúncio. Para especialistas em contas públicas, a proposta de rolar o pagamento de precatórios foi uma sinalização de abandono do compromisso fiscal. Histórico Nos últimos meses, o governo vem debatendo a criação de um novo programa social para substituir o Bolsa Família e abarcar os atuais beneficiários do auxílio emergencial, criado para ajudar trabalhadores informais afetados pela crise do coronavírus. Inicialmente, o programa se chamaria Renda Brasil. Bolsonaro planejava que o benefício tivesse valor de R$ 300. Integrantes da equipe econômica disseram que, para chegar a essa cifra, deveriam ser feitos cortes em outros benefícios sociais, o que desagradou Bolsonaro. O presidente chegou a dizer que daria "cartão vermelho" a quem apresentasse a ele essa proposta e proibiu que se falasse de Renda Brasil dentro do governo. A intenção de criar um novo programa social, no entanto, nunca foi abandonada. A solução encontrada pelo governo foi embutir o projeto na PEC emergencial. A PEC ainda precisa ser apresentada e votada na Câmara e no Senado.

Transação, que ainda precisa ser aprovada pela autoridades, prevê criação de plataforma digital completa para investimentos em renda fixa e variável. Grupo Santander pretende criar uma das maiores plataformas de investimentos 100% digital Luke MacGregor/Reuters O Grupo Santander Brasil anunciou nesta terça-feira (29) ter fechado um acordo de compra de 60% das ações da corretora Toro Investimento, o que lhe permitirá assumir o controle da companhia. A operação de compra, que ainda precisa de aprovação das autoridades econômicas, prevê a fusão da Toro à Pi Investimentos. De acordo com o Santander, o objetivo é “formar uma das melhores plataformas de investimentos em renda fixa e variável do país”. “Percebemos que a Pi e a Toro são duas legítimas representantes da mais nova geração das plataformas de investimento. Ambas são catalizadoras da desintermediação e democratização de produtos antes reservados a clientes com mais recursos”, disse o vice-presidente executivo de Wealth Management do Santander, Alberto Monteiro. Segundo o Santander, a Pi Investimentos emprestará suas cores ao logotipo da nova empresa. O executivo Gabriel Kallas seguirá no cargo de CEO, e o atual CEO da Pi, José Clemenceau, assumirá a função de COO. Histórico das duas empresas A Toro Investimentos foi a primeira plataforma brasileira a montar uma estrutura completa e autônoma de corretagem de valores. Ela foi criada em 2010, em Belo Horizonte, e há dois anos passou a atuar na intermediação de transações de valores mobiliários. Nos últimos cinco meses, a Toro saltou da 20ª para a 12ª posição na B3 em volume de negócios. Já a Pi foi lançada pelo Santander Brasil em março de 2019 como uma plataforma aberta de investimentos 100% digital, com oferta de mais de 240 produtos de renda fixa. Além de somar as carteiras de clientes, a nova empresa que será formada pela fusão das duas corretoras irá se beneficiar da infraestrutura tecnológica autônoma da Toro, que oferece facilidades de navegação e transação para investidores de varejo. Além disso, contará com o modelo de atuação B2B, desenvolvido pela Pi, para atuar junto a clientes como family offices, gestores e consultores de investimentos. “A associação com uma instituição como o Santander nos dará condições de atingir novos segmentos de mercado e ganhar escala sem abrir mão de nossas premissas fundamentais, de garantir ao investidor liberdade para fazer suas escolhas, simplicidade para gerir seus recursos e conhecimento sobre o mercado, por meio de nossos serviços de informação e assessoria”, avaliou Gabriel Kallas, co-fundador e CEO da Toro Investimentos. Assista aos últimos vídeos em Economia:

Audiência terá discussão sobre proposta sugerida por desembargadora de negociação de layoff para reversão de parte das demissões na Embraer. Embraer e Sindicato têm nova audiência na Justiça do Trabalho sobre demissões Divulgação/Embraer O Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (TRT-15) realiza nesta terça-feira (29) a terceira audiência entre Embraer e Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos (SP) após as demissões na empresa. A discussão já se arrasta há quase um mês após a empresa anunciar os 900 cortes de funcionários, que se somam aos 1,6 mil desligamentos por adesão a Planos de Demissões Voluntárias. Nesta terça-feira será debatida inicialmente a proposta de negociação sugerida pela desembargadora Tereza Aparecida Asta Gemignani na última semana. Na ocasião, ela propôs um novo layoff para 502 dos demitidos - sendo 470 de São José dos Campos e 32 de Gavião Peixoto. O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos foi favorável à medida, mas os representantes da empresa na audiência foram contra. Eles alegam que o prazo de layoff de até cinco meses é insuficiente para que se tenha a retomada econômica. Além disso, sustentam que os empregados já foram desligados da empresa e receberam as verbas rescisórias. Caso não haja acordo na proposta sugerida pela desembargadora ou não se apresente nenhuma nova alternativa, o dissídio coletivo será levado à julgamento. Embraer demite 2,5 mil funcionários nas fábricas do Brasil Ação pede anulação das demissões A ação do sindicato requer o cancelamento de todas as demissões, inclusive as referentes ao PDV. Os representantes da categoria alegam que a empresa fez os cortes sem buscar alternativas para minimizar o impacto social provocado. Já a Embraer alega que tentou negociar três PDVs com o sindicato e a proposta não foi levada para assembleia. O sindicato defende a equalização dos salários pagos pela empresa, com teto de R$ 39.200. O órgão acredita que essa medida seria suficiente para pagar os salários de todos os 2.500 demitidos. A Embraer informou que segue aberta à negociação e que já celebrou acordos com o Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo, com o Sindicato dos Metalúrgicos de Botucatu, com Sindicato dos Técnicos Industriais de Nível Médio do Estado de São Paulo e Sindicato Nacional dos Aeronautas. A empresa sustenta ainda que apresentou "proposta de extensão do plano de saúde e vale alimentação no valor de R$ 450 até junho de 2021 e reforçou a preferência de recontratação conforme retomada de mercado, em termos similares aos demais acordos coletivos celebrados com outras entidades sindicais". Além disso, afirmou que teve os negócios afetados pela pandemia e que adotou diversas medidas para manutenção do emprego em suas unidades. "A Embraer adotou uma série de medidas para preservar empregos como férias coletivas, redução de jornada, lay-off e licença remunerada, conforme negociações com os sindicatos. Também reduziu o trabalho presencial nas plantas industriais com o objetivo de zelar pela saúde dos colaboradores e garantir a continuidade dos negócios. A Embraer implementou ainda três planos de demissão voluntária (PDV)", diz. Tentativas de negociação Já foram realizados dois encontros sobre as demissões entre Sindicato dos Metalúrgicos e Embraer no TRT. O primeiro, marcado a pedido da Embraer, terminou sem acordo. A Embraer informou que na audiência "apresentou proposta de extensão dos benefícios de assistência médica e auxílio-alimentação aos colaboradores desligados. O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos se manteve intransigente, recusou a proposta e nem mesmo se dispôs a levá-la para apreciação dos metalúrgicos através de assembleia". A entidade sindical informou que chegou a propor um teto salarial como forma de redistribuição de renda para manter os empregos e que a proposta foi rejeitada. Adesão ao PDV não foi suficiente A Embraer havia encerrado em 2 de setembro o prazo para inscrição no terceiro PDV aberto durante a pandemia. A medida era uma tentativa de ajustar o quadro de funcionários frente aos impactos causados pela pandemia. Foram 1,6 mil adesões aos PDVs, mas como o volume não atingiu a meta necessária, a Embraer anunciou que vai fazer mais 900 cortes. Pandemia e fracasso em parceria Para justificar as demissões, a Embraer alega o impacto provocado pela pandemia de coronavírus e o cancelamento da parceria com a Boeing, além da falta de expectativa de recuperação do setor de transporte aéreo no curto e médio prazo. Entenda como Boeing e Embraer foram da aproximação ao rompimento do acordo bilionário Segundo a empresa, os cortes foram feitos com o "objetivo de assegurar a sustentabilidade da empresa e sua capacidade de engenharia". Desde o início da pandemia, a Embraer adotou uma série de medidas como férias coletivas, redução de jornada, lay-off ( suspensão temporária de contratos) e licença remunerada. O Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos afirma que foi pego de surpresa com as demissões. O órgão considera as demissões anunciadas na quinta ilegais. Denúncia de assédio O Ministério Público do Trabalho (MPT) apura denúncias recebidas de funcionários da Embraer que relatam pressão para aderir ao PDV. Uma campanha incentivando a denúncia de casos de assédio em relação ao PDV foi iniciada pelo Sindicato dos Metalúrgicos, que encaminhou os denunciantes ao MPT. Segundo o sindicato, 15 trabalhadores foram orientados a procurar o MPT, que recebeu três denúncias até o fim de agosto. A Embraer reforçou que o PDV foi um processo voluntário e comunicado com transparência às pessoas, seguindo o código de ética e conduta. Segundo a empresa, os funcionários foram informados pelos canais oficiais sobre o programa. Prejuízo bilionário A Embraer registrou prejuízo de R$ 2,95 bilhões nos primeiros seis meses de 2020. Somente no segundo trimestre, o prejuízo líquido foi de R$ 1,68 bilhão, pior resultado para um trimestre em 20 anos. Segundo a Embraer, nos seis primeiros meses de 2020, foram entregues somente quatro aeronaves comerciais e 13 executivas, consequência da pandemia de coronavírus. No primeiro semestre, o prejuízo líquido acumulado da empresa brasileira foi de R$ 2,95 bilhões, enquanto no primeiro semestre de 2019 a empresa apresentou prejuízo de R$ 134 milhões. A empresa afirma que não teve nenhum cancelamento na carteira comercial, apenas mudanças no prazo de entregas. Fracasso com Boeing No final abril, a Boeing anunciou a rescisão do acordo que daria à gigante norte-americana o controle sobre a divisão de aviação comercial da Embraer, em meio às crises no setor de aviação e na economia global, deixando a Embraer sem um plano B claro. A Embraer informou no balanço que os custos de separação dos negócios relacionados com a parceria estratégica com a Boeing, agora encerrada, reconhecidos em janeiro, foram de R$ 96,8 milhões. Na tentativa de diminuir os impactos na companhia, a Embraer assinou contrato em julho com cinco bancos públicos e privados para contrair US$ 300 milhões em empréstimos para financiar o capital de giro para exportações.

Moeda norte-americana avançou 0,06% e fechou cotada a R$ 5,6389. Notas de dólar Reuters Em dia de volalidade, o dólar fechou próximo da estabilidade nesta terça-feira (29), refletindo a cautela dos investidores internacionais antes do primeiro debate presidencial dos Estados Unidos, enquanto que na cena doméstica o foco permanece na situação fiscal do país e nas discussões em torno do novo programa social do governo, batizado de Renda Cidadã. A moeda norte-americana subiu 0,06%, cotada a R$ 5,6389. Na máxima, chegou a R$ 5,6781 e, na mínima, a R$ 5,6071. Veja mais cotações.      Com o resultado, a moeda norte-americana passou a acumular alta de 2,88% no mês e de 40,63% no ano.     O Ibovespa, por sua vez, caiu 1,15%, aos 93.580 mil pontos. O Banco Central informou que iniciará na quarta-feira (30) a rolagem de 130.890 contratos de swap cambial com vencimento em 3 de novembro de 2020, num total de US$ 6,5 bilhões, segundo a Reuters. Mercado reage mal ao anúncio do Renda Cidadã pelo governo Incertezas locais A forte alta na véspera ocorreu em meio a péssima repercussão das medidas para financiar o novo programa social do governo, batizado de Renda Cidadã. Após as reações do mercado financeiro e no mundo político, assessores próximos do presidente Jair Bolsonaro começaram a defender uma mudança no programa, segundo informa o Blog da Ana Flor. Para especialistas em contas públicas, a proposta de rolar o pagamento de precatórios – despesa obrigatória do governo com dívida pública judicial – para financiar um novo programa social foi uma ruptura, uma sinalização do abandono do compromisso fiscal. A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) divulgou parecer em que classifica como inconstitucional a proposta. A corretora Necton, por exemplo, revisou sua projeção para o dólar de R$ 5,90 para R$ 6,00 no fim de 2020. "A manobra em relação aos precatórios e a reação do mercado de maneira geral evidenciam que o espaço fiscal se exauriu. Dado que o governo não pode interromper o Auxílio Emergencial sob pena de jogar a economia numa desaceleração econômica e levando em conta que não há espaço para se cortar mais gastos uma vez que a demanda por serviços públicos irá aumentar em decorrência da crise, temos assim um impasse que não será resolvido", avaliou o economista André Perfeito. Cena externa Na cena externa, permanece a cautela em meio às preocupações com o avanço do coronavírus e ritmo de recuperação da economia global. Ativos considerados arriscados, como moedas emergentes pares do real, apresentavam desempenho misto, com os agentes do mercado operando em modo de espera. Nos EUA, o presidente Donald Trump e o desafiante democrata Joe Biden irão realizar nesta terça o seu primeiro debate televisivo de 90 minutos em Cleveland, Ohio, cinco semanas antes das eleições. Na Europa, a confiança econômica da zona do euro melhorou mais do que o esperado em setembro, graças principalmente a um aumento no otimismo do setor de serviços apesar das preocupações com uma segunda onda do coronavírus. A pesquisa mensal da Comissão Europeia mostrou que o sentimento nos 19 países que usam o euro subiu a 91,1 pontos este mês de 87,5 em agosto, superando as expectativas do mercado. O Banco Mundial afirmou nesta terça que a pandemia de coronavírus deve levar a região do Leste Asiático e Pacífico, bem como a China, a registrar o crescimento mais lento em mais de 50 anos, enquanto até 38 milhões de pessoas serão levadas à pobreza. O banco afirmou que a região deve crescer neste ano apenas 0,9%, taxa mais fraca desde 1967. Variação do dólar em 2020 G1 Assista: últimas notícias de economia
Segurado poderá fazer o agendamento da perícia médica ou optar pela antecipação. Peritos que não apareceram para trabalhar no INSS atendem nos próprios consultórios A antecipação do auxílio por incapacidade temporária, antigo auxílio-doença, continuará em vigor para todas as localidades do país, segundo portaria da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho e o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) publicada nesta terça-feira (29). Isso significa que o segurado, no momento do requerimento, poderá fazer a opção pelo agendamento da perícia médica para a concessão do auxílio em uma das unidades de atendimento da Perícia Médica Federal cujo serviço de agendamento esteja disponível, ou optar pela antecipação. Segundo o INSS, todos os segurados poderão requerer a antecipação do auxílio por incapacidade temporária, e não somente aqueles que residam a mais de 70 quilômetros de uma agência com serviço de perícia médica. Essa alteração tem o objetivo de atender os segurados durante o período de retorno gradual do atendimento presencial. O segurado que optar pela antecipação será posteriormente notificado pelo INSS para agendamento da perícia médica destinada à concessão definitiva do benefício e pagamento da diferença devida, caso tenha direito a um valor maior do que R$ 1.045, que é o estabelecido para a antecipação. Para requerer a antecipação do auxílio-doença o segurado deve enviar, pelo Meu INSS, o atestado médico e a declaração de responsabilidade pelos documentos apresentados. O atestado passará por análise da perícia médica para concessão da antecipação. O atestado médico deverá estar legível e sem rasuras; conter a assinatura do profissional emitente e o carimbo de identificação, com registro do respectivo Conselho de Classe ou Registro Único do Ministério da Saúde (RMS); conter as informações sobre a doença ou Código Internacional de Doenças (CID); e ainda conter o período estimado de repouso necessário. A antecipação do auxílio-doença pode ser feita até 31 de outubro. E o pagamento das antecipações não poderá exceder o dia 31 de dezembro - ressalvada a possibilidade de o segurado apresentar pedido de revisão para fins de obtenção integral e definitiva do auxílio por incapacidade temporária. Dor, descaso e filas: mais de um milhão de brasileiros esperam por atendimento no INSS Veja como pedir pelo Meu INSS Os sistemas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) estão adaptados para receber atestados médicos de trabalhadores que estão na fila do auxílio-doença e queiram solicitar a antecipação no valor de R$ 1.045. O segurado pode enviar o atestado médico diretamente pelo site Meu INSS ou pelo aplicativo do serviço. Para quem já usa o aplicativo, é preciso baixar a atualização disponível para Android e iOS. Ao entrar no Meu INSS, selecione a opção "Agendar Perícia". Quem ainda não tem o cadastro no site, precisa se cadastrar para fazer o login. Feito o login, basta fazer o seguinte: Clique em "Agendar Perícia" Selecione a opção “Perícia Inicial” e, em seguida, clique em “Selecionar” Na pergunta “Você possui atestado médico”, selecione “SIM” e clique em continuar Preencha as informações pedidas e clique em “Avançar” Em “Anexos”, clique no sinal + para inserir o documento e clique em "Anexar" Agora basta selecionar o documento (seu atestado médico) que você quer anexar, clicar em “Abrir” e, em seguida, em “Enviar” Siga os passos seguintes e clique em “Gerar Comprovante” para que você o salve em seu computador ou celular Cuidados O atestado médico deverá ser anexado ao requerimento por meio do site ou aplicativo "Meu INSS" e deve observar os seguintes requisitos: estar legível e sem rasuras; conter a assinatura do profissional emitente e carimbo de identificação, com registro do Conselho de Classe; conter as informações sobre a doença ou CID; conter o prazo estimado de repouso necessário. Em algumas situações os beneficiários terão que ser submetidos à perícia médica no INSS, após o término do regime de plantão reduzido nas agências. São elas: quando o período de afastamento da atividade, incluídos os pedidos de prorrogação, ultrapassar o prazo máximo; para fins de conversão da antecipação em concessão definitiva do auxílio-doença; quando não for possível conceder a antecipação do auxílio-doença com base no atestado médico por falta de cumprimento dos requisitos exigidos. A emissão ou a apresentação de atestado falso ou que contenha informação falsa configura crime de falsidade documental e sujeitará os responsáveis às sanções penais e ao ressarcimento dos valores indevidamente recebidos, alerta o INSS. Perícia por telemedicina O ministro Bruno Dantas, do Tribunal de Contas da União (TCU), deu prazo de cinco dias para o Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) elaborar um protocolo para realizar perícias médicas por meio da telemedicina. O prazo do INSS começou na segunda-feira e vai até sexta-feira. Na próxima quarta-feira, o plenário do TCU vai se reunir para decidir se mantém ou não a determinação. A decisão foi tomada a pedido do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Segundo o órgão, com a pandemia, as perícias foram interrompidas, resultado na paralisação de cerca de 200 mil ações judiciais relativas a benefícios previdenciários. Diante desse contexto, o CNJ publicou norma em abril autorizando a realização de perícia “por meio eletrônico, sem contato físico entre perito e periciando, enquanto perdurarem os efeitos da crise ocasionada pela pandemia do novo Coronavírus”. No último dia 18, o governo determinou o retorno do trabalho presencial dos peritos, mas a Associação Nacional dos Médicos Peritos da Previdência Social (ANMP) foi contra e entrou na Justiça. Segundo a entidade, as agências do INSS ainda não cumprem as especificações de segurança sanitária. Dantas explicou na decisão que o ideal será que as perícias fossem realizadas com a presença física do assegurado, mas isso ainda não é possível. Com impasse sobre perícia por telemedicina, 800 mil segurados aguardam na fila do INSS “O ideal seria que os serviços periciais fossem realizados com a presença física do beneficiário perante o perito. No entanto, isso ainda não é totalmente possível, não obstante os esforços do INSS em reabrir parcialmente nesta semana [semana passada] as agências que foram vistoriadas e tiveram as medidas de segurança sanitárias implementadas e aprovadas. Como não é possível o retorno de 100% das perícias presenciais, é necessário que sejam verificadas, por ora, alternativas para minimizar os transtornos dessa paralisação para a população brasileira mais vulnerável”, anotou o ministro. Na última quinta-feira (24), o Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região derrubou decisão da Justiça Federal do Distrito Federal que havia dispensado os peritos médicos de retornarem ao trabalho presencial. Na segunda-feira (28), a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho e o Instituto Nacional do Seguro Social informaram que, de 915 peritos médicos federais que deveriam ter retornado ao atendimento presencial nas agências, 633 (69%) compareceram aos seus postos de trabalho. Foram realizadas, até as 16h, 5.716 perícias presenciais. Esses atendimentos ocorreram em 189 das 227 agências que deveriam ter perícia médica.

Instituição ressalva que trajetória ascendente do indicador é desigual entre os segmentos do setor. Índice que mede situação atual sugere que não há alteração no ritmo de demanda mensal. O Índice de Confiança de Serviços, medido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), avançou 2,9 pontos em agosto, para 87,9 pontos. Embora seja a quinta alta consecutiva, há desaceleração do indicador desde julho. Em julho, a confiança dos serviços havia avançado 11,2 pontos. Já em agosto, a alta foi de 6 pontos. Em médias móveis trimestrais, o índice apresenta alta de 5,4 pontos. De acordo com Rodolpho Tobler, economista do FGV IBRE, apesar de manter a trajetória ascendente, a confiança do setor de serviços mostra ritmo desigual entre os seus seguimentos. Além disso, enfatizou que o índice permanece abaixo do patamar pré-pandemia. “Houve acomodação nos indicadores que medem a situação atual, sugerindo que não há alteração no ritmo de demanda por serviços no mês, apenas aumento das expectativas", apontou Tobler. Confiança do setor de serviços em setembro Economia/G1 Dos 13 segmentos dos serviços pesquisados pela FGV, 11 apresentaram variação positiva na passagem de agosto para setembro. As avaliações sobre o momento atual se mantiveram estáveis, enquanto as expectativas em relação aos próximos meses melhoraram, acumulando os cinco meses de alta consecutivos. O Índice de Situação Atual (ISA-S) variou 0,1 ponto, para 76,9 pontos, ainda abaixo do nível pré-pandemia. O Índice de Expectativas (IE-S), por sua vez, cresceu 5,4 pontos, para 98,9 pontos, igualando-se ao nível pré-pandemia (fevereiro de 2020). O Nível de Utilização da Capacidade Instalada (NUCI) do setor de serviços se manteve estável em 81,8%. Ainda segundo o economista da FGV, a conjuntura econômica atual ainda não sugere que a retomada do setor de serviços seja sustentável. "Para os próximos meses, o cenário de recuperação deve ser mantido, mas ainda há muita incerteza na sustentabilidade dessa retomada, principalmente pela cautela dos consumidores, piora do mercado de trabalho e proximidade do fim dos programas de auxílio do Governo”, avaliou. Melhor perspectiva para o terceiro trimestre A FGV destacou que o setor iniciou o segundo semestre de maneira distinta ao encerramento do primeiro, registrando sucessivos ganhos de confiança em todos os setores. No terceiro trimestre, o Índice de Confiança de Serviços registrou aumento de 22,9 pontos no total. Comparando com o desempenho do trimestre anterior (queda de 30 pontos), houve uma recuperação de 76,2%. Entre os principais segmentos analisados, os serviços de Transportes foram os que conseguiram melhor recompor a confiança no período, recuperando 89,0% do ICS. Em contrapartida, os serviços prestados às famílias, que registraram a maior queda no trimestre (38,5 pontos), não conseguiram recuperar sequer metade da confiança perdida (47,5%). Assista aos últimos vídeos em Economia

Se você é cliente de alguma instituição financeira, ela provavelmente tem tentado convencê-lo nas últimas semanas a fazer o pré-cadastro no Pix. Mercado de pagamentos eletrônicos movimentou R$ 1,8 trilhão no Brasil em 2019 Getty Images O novo meio de pagamento eletrônico instantâneo que vem sendo desenvolvido pelo Banco Central será lançado em 16 de novembro e o registro começa agora em 5 de outubro. A plataforma vai permitir a realização de transferências bancárias a qualquer hora do dia, em qualquer dia da semana e sem ônus — colocando em xeque a TED ou do DOC, que hoje podem custar mais de R$ 15, a depender do pacote de serviços do correntista. O impacto potencial da mudança, entretanto, vai bem além da isenção das transferências. O Pix também tem vocação para substituir os boletos bancários e pode mudar a experiência de consumo no débito e em dinheiro em espécie. Entenda como funciona o PIX, novo sistema de pagamentos desenvolvido pelo BC Golpistas usam cadastro no PIX para roubar dados de consumidores De qualquer maneira, qualquer ponto percentual nesse mercado é muito coisa: por ano, ele movimenta cerca de R$ 1,8 trilhão, conforme os dados da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços referentes a 2019. Entenda, a seguir, como o serviço pode afetar consumidores, empresas e os protagonistas e coadjuvantes da cadeia de meios de pagamentos (a indústria de maquininhas, as operadoras de cartões e os grandes bancos). Consumidores Além da isenção de cobrança pelas transferências de recursos, uma das principais mudanças potenciais para os consumidores será a experiência de compra no boleto, no débito e em dinheiro. Isso porque o Pix pode substituir essas três modalidades. No caso do boleto, o pagamento passa a ser feito pelo aplicativo do banco ou de uma carteira eletrônica. Por exemplo: quando o cliente fizer uma compra pela internet, para efetuar o pagamento ele só precisará abrir o app e ler o QR code do Pix. Ao contrário do boleto, a transação é processada instantaneamente. As compras em dinheiro ou débito seguem a mesma lógica. Em um estabelecimento comercial físico, por exemplo, o lojista pode gerar o QR code ou imprimi-lo e deixá-lo no balcão — como já acontece hoje em estabelecimentos que aceitam pagamentos instantâneos de carteiras digitais como PicPay ou Mercado Pago. Para que uma pessoa física use o serviço ela só precisa ter uma conta corrente, conta poupança ou uma carteira digital, com cadastro no Pix. Esse cadastro é feito na instituição gestora da conta. O cliente tem a possibilidade de cadastrar uma "chave Pix" para facilitar as transações — uma espécie de "apelido" que será usado para identificá-lo, como CPF, e-mail e telefone. Com ela, não será preciso mais digitar os dados bancários do destinatário de uma transferência, por exemplo. É só colocar a chave Pix e a transação será efetuada. A pessoa física pode ter "chaves Pix" em mais de uma instituição bancária, mas só pode ter uma modalidade por instituição. Se você cadastrou em CPF em um determinado banco, por exemplo, ele só pode ser usado como chave Pix naquele banco. Empresas A maior vantagem do Pix, na avaliação de Felipe Ahouagi, especialista em meios de pagamento da consultoria L.E.K, é para os recebedores. A modalidade não será gratuita para pessoa jurídica. Ela terá um custo, mas muito menor do que aqueles nos quais se incorre hoje. A cada venda feita no débito, um estabelecimento é cobrado por um percentual da transação, a "merchant discount rate" (MDR), composta por três tarifas: a de intercâmbio, que fica com o banco, a de bandeira, que vai para a bandeira do cartão, como Visa, MasterCard e American Express, e uma terceira, retida pela própria empresa que emite a maquininha. A cobrança reflete os vários elos que essa cadeia tem hoje, dos quais o Pix não necessariamente precisa para operar. Em uma venda feita por essa modalidade com QR Code, por exemplo, o consumidor pode pagar com o celular (ou seja, sem a maquininha), e a operação é processada pelo Sistema de Pagamentos Instantâneos (SPI), gerido e operado pelo Banco Central. Por isso o custo é menor. Compra por meio de QR code pode ser feita pelo celular e sem a necessidade de uso da maquininha pelo estabelecimento Getty Images "O estabelecimento comercial tem todo interesse em adotar, assim como autônomos", avalia. João Bragança, especialista em meios de pagamento da consultoria Roland Berger, avalia que, em um segundo momento, as médias e grandes varejistas também vão ter um grande incentivo para desenvolver a modalidade, já que muitas delas atuam como financeiras. Algumas já entraram no ramo dos meios de pagamentos digitais, como as Americanas com a carteira digital Ame, a Via Varejo (dona das Casas Bahia) com o banco digital BanQi e o Magazine Luiza com a conta digital Magalu Pay. Com o Pix, diz Bragança, elas teriam acesso a mais uma camada enorme de dados sobre os hábitos de consumo de clientes, o que lhes possibilitaria fazer ofertas direcionadas, por exemplo. Além disso, poderiam atrair clientes potenciais que hoje estão fora do sistema financeiro — os chamados "desbancarizados", que não possuem conta corrente ou cartão de crédito ou débito. Outros potenciais ganhadores Com a capilarização do Pix no varejo, quem também tende a se beneficiar são as carteiras eletrônicas, que passam a contar com uma rede de aceitação muito maior. Grandes empresas de tecnologia, por sua vez, teriam oportunidade de entrar ou acelerar o crescimento na área de serviços financeiros, avalia o consultor da Roland Berger, enquanto os bancos digitais e fintechs teriam espaço não apenas expandir a carteira de clientes, mas consolidar a base que já têm. Hoje muitos brasileiros que têm conta nessas instituições financeiras menores ainda concentram boa parte de suas movimentações nos bancos de varejo tradicionais. Com o Pix, essa lógica poderia começar a mudar — e daí a movimentação dos grandes bancos, alguns com grandes campanhas publicitárias, para que os clientes registrem o Pix em suas plataformas. "Todo mundo vai passar a disputar conta corrente (de clientes). A qualidade da oferta do serviço e a experiência do cliente vão ser críticas", ressalta Bragança. A "corrida para garantir a captura", diz Ahouagi, da consultoria L.E.K., se baseia de lógica de que, uma vez dentro da plataforma do banco, seja ele tradicional ou uma fintech, o cliente tende a usar outros serviços. "Com uma âncora de relacionamento (o Pix), eu tento vender todos os serviços bancários, abro a possibilidade de que ele possa fazer tudo em um lugar só." Mercado de cartões envolve diversos elos: as bandeiras, as empresas das 'maquininhas', os bancos e as processadoras Getty Images Impacto nos elos da cadeia Os potenciais perdedores são aqueles que hoje lucram com os vários elos da cadeia de pagamentos: as "maquininhas", conhecidas como adquirentes, as bandeiras de cartões e as processadoras, que prestam serviços operacionais ligados aos cartões e às transações. Bragança estima que, em um cenário de sucesso com Pix (ou seja, de ampla adoção), com queda de 60% das vendas e aluguel de maquininhas e de 65% nas receitas com MDR, as empresas adquirentes perderiam quase R$ 9 bilhões em receitas. No cenário mais adverso para essas empresas, a perda chegaria a R$ 13 bilhões. Ahouagi também avalia que as margens do setor serão pressionadas. Mas pondera que a modalidade de crédito tende a ser pouco afetada, pelo menos neste primeiro momento. Isso porque as transações pelo Pix são instantâneas. Há previsão de um Pix agendado, que poderia se assemelhar a uma operação de crédito. A regulamentação do Banco Central estabelece, entretanto, que a oferta da modalidade pelas instituições financeiras é facultativa, que a transação não pode bloquear um limite da conta e que, caso o saldo seja insuficiente na data do pagamento, a operação será cancelada. Ou seja, não há garantia de que o valor seria pago. Assim, pelo menos em um primeiro momento, o incentivo para os estabelecimentos comerciais é pequeno. O consultor acrescenta que a perda de rentabilidade não é algo exatamente novo para algumas das empresas do ramo. Em 2009, o Banco Central quebrou o monopólio do mercado de adquirência, o que permitiu, na prática, a entrada de novas empresas em um setor até então dominado basicamente por Cielo e Rede. Com a maior concorrência, os preços caíram. Desde então, o mercado de meios de pagamentos global vem passando por grandes mudanças, inclusive com o surgimento de novos meios de pagamentos, como as criptomoedas, as carteiras digitais e os money transfer operators, que têm mudado a lógica de remessa de recursos para o exterior. Diretor do Banco Central afirma que PIX é um meio de pagamento tão seguro quanto os outros Os pagamentos instantâneos, em sua visão, entram dentro desse contexto. Assim, Ahouagi estima que, em cinco anos, o Pix pode ocupar 11% do mercado de meios de pagamentos eletrônicos (o equivalente a R$ 440 bilhões, sem levar em conta a inflação do período), uma fatia bem mais modesta do que os meios de pagamento instantâneos tomaram na China ou na Índia. Nesses casos específicos, pontua o consultor, o grande sucesso do sistema se deveu ao fato de que muita gente já estava habituada a fazer pagamentos pelo celular, caso da China, ou de que parte relevante da população não usava cartões, caso da Índia. Para Bragança, a novidade pode representar uma mudança de paradigma na cadeia de valor dos pagamentos. O Brasil, diz ele, é um dos poucos países em que a autoridade monetária (o Banco Central) se envolveu ativamente no desenvolvimento da plataforma. A chance de que ele ganhe escala, nesse sentido, é grande. Em países como os Estados Unidos, por exemplo, a rede de pagamentos instantâneos foi instituído por iniciativa de um grupo de empresas. Qual o interesse da autoridade monetária? O Pix, diz Ahouagi, é mais uma etapa da agenda de competitividade do BC — a mesma que quebrou o monopólio das maquininhas em 2009, que visa estimular a concorrência diminuir os custos de transação no país. Além disso, a autoridade monetária também conta com a vantagem de que essa modalidade dá maior visibilidade às transações (especialmente àquelas que antes eram feitas com dinheiro em espécie), com rastreamento de ponta a ponta. "Isso ajuda a reduzir a informalidade, a evasão de divisas, e a aumentar regularização do sistema", afirma. Segurança Em um país cheio de modalidades cada vez mais criativas de cibercrime, a segurança é uma questão chave para a plataforma. Bragança recorda que não houve uma padronização por parte do Banco Central. A questão da segurança é de competência das instituições financeiras. A lógica é a mesma das demais transações bancárias: os sistemas de mitigação de risco e as barreiras antifraude variam de uma empresa para outra. No caso do Pix, por exemplo, além da segurança dos próprios aplicativos das instituições financeiras, elas podem colocar outras camadas — como, por exemplo, um limite máximo para realização de operação com o pagamento instantâneo. O especialista alerta, contudo, que provavelmente devem aparecer casos de fraude, assim como acontece com praticamente todas as modalidades de pagamentos. "É o ciclo de vida de qualquer operação. É uma jornada de aprendizado." E deve-se ficar atento não apenas à possibilidade de golpes, mas também de erros cometidos pelos próprios clientes. Como o Pix é instantâneo, uma transferência ou um pagamento feitos por engano não têm garantia de ressarcimento. Também ficará a cargo de cada instituição decidir como vão lidar com essas situações. Assista aos últimos vídeos em Economia
Com este resultado, alta acumulada é de 14,4% no ano e de 17,94% em 12 meses, aponta FGV. Inflação do aluguel: IGP-M sobe 4,34% em setembro; em 12 meses, alta é de 17,94% O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) teve alta de 4,34% em setembro, contra um avanço de 2,74% em agosto, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta terça-feira (29) Com este resultado, o índice já acumula alta de 14,4% no ano e de 17,94% em 12 meses, bem acima do índice de inflação oficial do país. Em setembro de 2019, o índice havia caído 0,01% e acumulava alta de 3,37% em 12 meses. O IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de aluguel de imóveis. Ele sofre uma influência considerável das oscilações do dólar, além das cotações internacionais de produtos primários, como as commodities e metais. "Os três índices componentes do IGP-M registraram aceleração. O índice de preços ao produtor segue influenciado pela alta de grandes commodities, como a soja em grão que subiu 14,32% em setembro. No IPC, o destaque coube ao subgrupo recreação cuja a variação foi de 4,77%, sob influência de passagens aéreas que avançaram 23,74% nesta apuração. Por fim, no INCC destacam-se materiais e equipamentos, cujos os preços avançaram em média 2,97% no mês e 9,67% em 12 meses”, afirma André Braz, Coordenador dos Índices de Preços. Preço do aluguel volta a subir no Rio O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que responde por 60% do índice geral e apura a variação dos preços no atacado, acelerou a alta a 5,92% no mês, depois de subir 3,74% em agosto. A principal contribuição para este resultado partiu do subgrupo alimentos processados, cuja taxa passou de 2,98% para 5,99%, no mesmo período. A alta das Matérias-Primas Brutas chegou a 10,23% em setembro, de 6,93% no mês anterior. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) avançou 0,64% em setembro contra 0,48% em agosto. Já o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) subiu 1,15% em setembro, ante 0,82% no mês anterior. Os economistas do mercado financeiro voltaram a estimar inflação acima de 2% para 2020 — algo que não acontecia desde o final de abril, segundo boletim Focus do Banco Central divulgado nesta segunda-feira. Para o IPCA, a estimativa agora é de uma alta de 2,05% no ano. A expectativa, porém, segue abaixo da meta central, de 4%, e também do piso do sistema de metas, que é de 2,5% em 2020. Vídeos: últimas notícias de economia no Brasil e no mundo

Tira-dúvidas explica a relação do WhatsApp com o número de telefone e dos serviços de internet com a localização. Se você tem alguma dúvida sobre segurança da informação (antivírus, invasões, cibercrime, roubo de dados etc.), envie um e-mail para [email protected] A coluna responde perguntas deixadas por leitores às quintas-feiras. Rastreamento da localização de contatos pode ser realizado pelos dados cadastrais do assinante da conexão, mesmo quando informações de GPS estiverem indisponíveis. Buffik/Pixabay Gostaria de saber: pelo número da linha usada em um WhatsApp, mesmo que o celular não funcione chip (só funcione em Wi-Fi), tenho como saber a localidade de onde as mensagens foram enviadas? – Hans Esta pergunta é muito confusa, então vamos separar um pouco as coisas. Em primeiro lugar, nada será possível "só com o número" – o número é necessário para iniciar o processo de rastreamento, pois as contas no WhatsApp são identificadas pelo número do telefone. Contudo, a conta do WhatsApp por si só não têm nenhuma relação com a linha de telefonia ou com a operadora. Entenda o cenário em detalhes: O 'número' do WhatsApp permite identificar a conta do WhatsApp: O WhatsApp registra as conexões ao serviço feitas pelos usuários (quando você baixa novas mensagens, por exemplo, isso exige uma conexão ao serviço). O endereço IP pode ser usado para identificar o assinante de internet do Wi-Fi usado para se conectar ao WhatsApp, mesmo que o celular não tenha chip ou até use um chip de um número diferente do cadastrado no WhatsApp. Como esse assinante tem um endereço cadastrado no provedor de internet, você pode chegar a um "local" aproximado de onde as mensagens foram enviadas. A operadora pode ter informações, apesar do aparelho não ter chip: mesmo que o chip tenha sido cancelado pela operadora, ele teve que funcionar em algum momento para permitir o cadastro da conta do WhatsApp. Dessa forma, é possível resgatar as informações do dono daquele chip antes do cancelamento. Dependendo da situação, a operadora pode saber o endereço físico cadastrado pelo dono da linha. A 'localização' não é identificada, mas sim a conexão: o WhatsApp não registra a localização das mensagens e é geralmente desnecessário associar informações de uso de rede móvel e WhatsApp para identificar a localização. É a identificação do serviço de internet que permite estimar o local de envio das mensagens, ou mesmo o responsável por elas. Serviços de VPN vão dificultar esse tipo de rastreio. Serviços do tipo "VPN" adulteram o endereço IP usado nas conexões e vão impedir esse tipo de rastreamento diretamente pelo provedor. Mas alguns serviços de VPN podem ceder dados dos usuários e revelar o endereço de IP verdadeiro. Em outras palavras, não é correto prender-se à ideia de rastrear a "localização" das mensagens. O que será identificado é o serviço de internet utilizado – e isso será feito pelos dados cadastrais mantidos pelos provedores de internet. Nenhuma dessas informações é fácil de ser obtida. É preciso obter autorização na Justiça, com uma investigação fundamentada. Ou seja, é preciso haver um motivo (um ato ilícito ou crime) que justifique a obtenção desses dados. Após o primeiro passo solicitando dados ao WhatsApp, será necessário obter as informações dos provedores de acesso à internet responsáveis pelos endereços de IP. Se a operadora de telefonia tiver dados cadastrais da linha, o caminho é um pouco mais curto. Caso você esteja recebendo ameaças ou outras mensagens que constituem crimes, denuncie à polícia. Dúvidas sobre segurança digital? Envie um e-mail para [email protected] VÍDEOS: Aprenda dicas sobre segurança digital

Governo divulgou novo calendário de pagamentos. Primeira parcela da extensão do auxílio para beneficiários fora do Bolsa Famílias será paga a partir desta quarta (30) para 27 milhões de pessoas. Confira as datas para o pagamento da nova fase do Auxílio Emergencial de R$ 300,00 O Ministério da Cidadania informou que 27 milhões de pessoas que não fazem parte do programa Bolsa Família receberão a partir desta quarta-feira (30) a primeira parcela de R$ 300 da prorrogação do Auxílio Emergencial. Como o total de beneficiários elegíveis fora do Bolsa Família soma 48 milhões de pessoas, isso significa que apenas 56,25% dos aprovados deverão receber o limite de mais quatro parcelas de R$ 300 ou R$ 600 (no caso de mães monoparentais). Pelas regras definidas para a prorrogação do auxílio, apenas os trabalhadores que receberam em abril a primeira parcela do benefício original, de R$ 600, e que já terminaram de receber as cinco parcelas iniciais, terão direito a todas as quatro parcelas adicionais. O governo divulgou nesta segunda-feira (28), em edição extra do Diário Oficial, o calendário de pagamentos das parcelas de R$ 300 do Auxílio Emergencial para beneficiários fora do Bolsa Família. "Serão 27 milhões de pessoas que receberão R$ 300 ou R$ 600 (no caso de mães monoparentais), o que totaliza um investimento do governo federal de mais de R$ 9 bilhões. Assim como ocorreu até o presente momento, o calendário seguirá o mês de nascimento dos beneficiários, ou seja, os créditos se iniciarão por aqueles nascidos em janeiro, depois fevereiro, março e assim sucessivamente, em poupança social digital já existente em seu nome", informou em nota o ministério. O comunicado do Ministério não esclarece, no entanto, quantos beneficiários receberão três, duas ou uma parcelas. A portaria que definiu as datas de pagamento das parcelas de R$ 300 também alterou o calendário dos pagamentos das próximas parcelas de R$ 600. Veja como ficou o calendário completo de pagamento do Auxílio Emergencial. VEJA OS CALENDÁRIOS AO FINAL DESTA REPORTAGEM A prorrogação do Auxílio Emergencial com mais quatro parcelas de R$ 300 foi oficializada no início do mês por Medida Provisória. Apenas os beneficiários que fazem parte do Bolsa Família, no entanto, já estavam recebendo os pagamentos, que seguem o calendário do próprio bolsa. Veja o calendário completo de pagamentos Tira dúvidas sobre o Auxílio Emergencial Veja como serão os pagamentos de R$ 300 Beneficiário pode não receber todas as parcelas de R$ 300; entenda SAIBA TUDO SOBRE O AUXÍLIO EMERGENCIAL Menos parcelas, menos beneficiários O auxílio emergencial residual será pago só até 31 de dezembro independentemente do número de parcelas recebidas por cada beneficiário. "Os cidadãos que se tornaram elegíveis em maio, junho e julho terão os novos valores creditados em outubro, novembro e dezembro, respectivamente, após o fim do pagamento do auxílio", informou o ministério. Está prevista também a reavaliação dos beneficiários aprovados - tanto para o início dos pagamentos quanto no decorrer dos mesmos. O cumprimento dos critérios serão verificados mensalmente. Além do menor número de parcelas para parte dos beneficiários, o Auxílio Emergencial Residual também vai atingir menos trabalhadores. As regras definidas para a prorrogação restringe o pagamento para algumas pessoas. Assim, não vai receber parcelas de R$ 300 quem: Possua indicativo de óbito nas bases de dados do governo federal Tenha menos de 18 anos, exceto em caso de mães adolescentes Esteja preso em regime fechado Tenha sido declarado como dependente no Imposto de Renda de alguém que se enquadre nas hipóteses dos itens 5, 6 ou 7 acima No ano de 2019 recebeu rendimentos isentos não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte cuja soma seja superior a R$ 40 mil Tinha em 31 de dezembro de 2019 a posse ou a propriedades de bens ou direitos no valor total superior a R$ 300 mil reais Recebeu em 2019 rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 Mora no exterior Tem renda mensal acima de meio salário mínimo por pessoa e renda familiar mensal total acima de três salários mínimos Recebeu benefício previdenciário, seguro-desemprego ou programa de transferência de renda federal após o recebimento de Auxílio Emergencial (exceto Bolsa Família) Conseguiu emprego formal após o recebimento do Auxílio Emergencial Auxílio emergencial: veja as mudanças em 1 minuto 67,2 milhões de contemplados Segundo o último balanço divulgado pelo governo, 67,2 milhões de brasileiros foram beneficiados pelo auxílio emergencial na primeira fase do programa. Nesta primeira etapa de prorrogação, 16,3 milhões de beneficiários do Bolsa Família receberão o auxílio em setembro e 27 milhões de pessoas fora do Bolsa Família. Auxílio Emergencial deixa de ser pago a quase 3 milhões de beneficiários do Bolsa Família No caso do Bolsa Família, são quase 3 milhões de beneficiários a menos nesses novos lotes de pagamento. As cinco parcelas anteriores de R$ 600 foram pagas para 19,2 milhões de pessoas. "Somando-se, os públicos CadÚnico, Extracad e Bolsa Família representam até o momento 43,3 milhões de brasileiros beneficiados com a parcela de setembro da extensão do Auxílio Emergencial, o que totaliza um investimento de R$ 13,3 bilhões", informou a Cidadania. Ou seja, dentro do total de contemplados nas cinco primeiras parcelas, 64,4% deles deverão receber o limite de mais quatro parcelas do Auxílio Emergencial residual. Calendário de pagamentos Os calendários de pagamento das parcelas de R$ 300 levam em consideração a data em que o beneficiário recebeu a primeira das parcelas originais do benefício, de R$ 600. Auxílio Emergencial - aprovados que receberam a primeira parcela em abril Economia G1 Auxílio Emergencial - aprovados que receberam a primeira parcela em maio Economia G1 Auxílio Emergencial - aprovados que receberam a primeira parcela em junho Economia G1 Auxílio Emergencial - aprovados que receberam a primeira parcela em julho Economia G1 Quatro milhões de domicílios sobreviveram apenas com o auxílio emergencial em agosto VÍDEOS: veja as últimas notícias sobre o Auxílio Emergencial
Para entrevistados em pesquisa, classificação causa uma impressão errada de que pessoas maduras sejam mais fragilizadas e suscetíveis a adoecerem e que, por isso, não são positivas para empresas. Uma pesquisa realizada pela Maturi, plataforma voltada para a geração de oportunidades e capacitação do público com mais de 50 anos, mostra que, entre os mais de 4 mil entrevistados, 39,2% consideram que a denominação “grupo de risco” para o coronavírus fez aumentar ainda mais o preconceito em torno desses profissionais. Para os entrevistados, a classificação causa uma impressão errada de que pessoas maduras sejam mais fragilizadas e suscetíveis a adoecerem e que, por isso, não são positivas para empresas. Além disso, quem discorda da nomenclatura afirma que, na atual situação do mundo, comportamentos de risco são o que verdadeiramente importam, os quais não são ditados pela idade. Por que pandemia está acelerando saída de idosos do mercado de trabalho Quem tem acima de 60 anos se enquadra no grupo de risco para o coronavírus, mesmo que não tenha nenhum problema de saúde associado, assim como pessoas de qualquer idade que tenham comobirdades como cardiopatia, diabetes, pneumopatia, doença neurológica ou renal, imunodepressão, obesidade, asma, entre outras. O CEO da Maturi, Mórris Litvak, destaca que o preconceito é um dos maiores obstáculos de quem tem mais de 50 anos quando o assunto é a busca por oportunidades. “Uma visão errônea que muitos empregadores possuem é de que os maduros não são digitais. Pelo contrário, percebemos uma participação muito ativa deles em nossos cursos e eventos online, além da familiaridade com as ferramentas tecnológicas”, diz. Pandemia acelera saída de idosos do mercado de trabalho Principais resultados da pesquisa Perfil no mercado: 38,1% são empresários ou empregadores; 34,7% têm empregos formais; 32,5% são autônomos, prestadores de serviço ou profissionais liberais; 10,9% estão desempregados; 10,3% têm empregos informais e 2,4% são aposentados. Renda: 27,9% têm renda entre R$ 5 mil e R$ 10 mil; 27,1% possuem rendimentos até R$ 3 mil; 20,5% têm renda entre R$ 3 mil e R$ 5 mil; 20,3% ultrapassam os R$ 10 mil. Estratégias financeiras durante a pandemia: 60,1% reduziram ou cortaram gastos, 31,4% não precisaram recorrer a nenhuma estratégia a curto e médio prazo, 30,5% procuraram por um novo ou segundo emprego, 26,8% retiraram alguma quantia da poupança e 0,4% recorreu ao Auxílio Emergencial do governo. Durante o isolamento social: 77% só saem para o essencial, 12% não saem de casa de modo algum, 9% saem para trabalhar e 2% não aderiram ao isolamento. Assista as últimas notícias de economia
Também nesta terça, Caixa paga primeira parcela do auxílio de R$ 300 para 1,6 milhão de beneficiários que fazem parte do Bolsa Família. Governo divulgou na segunda o calendário de pagamentos das novas parcelas para beneficiários fora do Bolsa. A Caixa Econômica Federal (CEF) libera nesta terça-feira (29) saques e transferências de novas parcelas do Auxílio Emergencial para 4,1 milhões de beneficiários do programa nascidos em março, que tiveram o dinheiro creditado em poupança social digital no último dia 4 de setembro. Também nesta terça, a Caixa paga a primeira parcela de R$ 300 (a sexta do Auxílio Emergencial) a 1,6 milhão de trabalhadores que fazem parte do Bolsa Família, cujo número do NIS é terminado em 9. Saiba como liberar a conta bloqueada no aplicativo Caixa Tem Veja o calendário completo de pagamentos do Auxílio Emergencial Tira dúvidas sobre o Auxílio Emergencial SAIBA TUDO SOBRE O AUXÍLIO EMERGENCIAL Os beneficiários fora do Bolsa Família já podiam usar os recursos para pagamento de contas e compras por meio do cartão virtual.(veja no calendário mais abaixo). Auxílio emergencial: veja as mudanças em 1 minuto Parcelas extras de R$ 300 Na noite de segunda-feira, o governo divulgou as datas de pagamento das parcelas de R$ 300 do Auxílio Emergencial para beneficiários fora do Bolsa Família. Veja aqui como ficou o calendário, e aqui para tirar dúvidas sobre as novas parcelas. VEJA QUEM PODE SACAR A PARTIR DESTA TERÇA: Trabalhadores do Cadastro Único e inscritos via site e app poderão sacar ou transferir: 4,1 milhões de nascidos em março: - aprovados no primeiro lote poderão sacar a quinta parcela; - aprovados no primeiro lote, mas que tiveram o benefício suspenso, poderão sacar a quinta parcela - aprovados no segundo lote poderão sacar a quarta parcela; - aprovados no terceiro lote poderão sacar a terceira parcela; - aprovados no quarto lote poderão sacar a terceira parcela; - aprovados no quinto lote poderão sacar a segunda parcela; - aprovados no sexto lote poderão sacar a segunda parcela; - aprovados no sétimo lote poderão sacar a primeira parcela; - reavaliados (que tiveram o benefício suspenso em agosto) poderão sacar todas as parcelas já recebidas em poupança digital Os trabalhadores podem consultar a situação do benefício pelo aplicativo do auxílio emergencial ou pelo site auxilio.caixa.gov.br. Calendários de pagamento Clique aqui para ver o calendário completo de pagamentos do Auxílio Emergencial. Veja os últimos vídeos sobre o Auxílio Emergencial a